Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

terça-feira, 28 de julho de 2020

Subsídio Lição 5 - Zorobabel recomeça a construção do templo




INTRODUÇÃO 
- Na sequência do estudo do período da formação da “Comunidade do Segundo Templo” como exemplo de avivamento para nossos dias, veremos a retoma da reconstrução do templo, narrada em Esdras 5 e 6. - O templo só foi reconstruído porque ocorreu um despertamento espiritual mediante a ação dos profetas Ageu e Zacarias. 

I – DEUS LEVANTA AGEU E ZACARIAS PARA DESPERTAR O POVO - Deixamos o povo de Judá entorpecido espiritualmente após a ação violenta dos samaritanos que impediu a continuidade das obras do templo, numa intimidação que paralisou os judeus, que, assim, passaram a cuidar única e exclusivamente de suas vidas, abandonando a reedificação da casa do Senhor, que tinha sido o motivo principal de seu retorno para a Terra Prometida. - O povo acomodou-se com aquela situação e, de igual modo, Zorobabel, que era o governador, que não procurou reverter a situação, apesar de ter uma ordem do rei Ciro pra a construção do templo, bem como ser a ordem do rei Cambises II uma ordem provisória que, portanto, comportava uma alteração. - A história registra que Cambises II reinou 6 anos, tendo morrido em Damasco, quando regressava do Egito, que havia conquistado. Após a sua morte, houve uma luta pelo poder na Pérsia, com os magos governando durante um ano, com o que não concordaram os nobres persas que acabaram por eleger como rei a Dario, filho de Histaspe, que era pessoa próxima de Zorobabel. 

OBS: Estes fatos são narrados por Flávio Josefo: “...Cambises reinou só sesi anos e morreu em Damasco, ao seu regresso do Egito, que havia subjugado. Os magos, depois de sua morte, governaram o reino, durante um ano, com poder absoluto. Mas os chefes das sete principais famílias da Pérsia depuseram-nos e elegeram para rei, de comum acordo, Dario, filho de Histaspe....” (Antiguidades Judaicas, XI.3, 438. In: História dos hebreus. Trad. de Vicente Pedroso, v.1, p.235). - Entretanto, Deus não começou a agir somente com este mudança de governo, pondo alguém a quem Zorobabel tinha acesso, mas, também, já tinha começado a mostrar ao povo o Seu desagrado com a atitude tomada por eles de desprezo às coisas de Deus. - O profeta Ageu é quem nos dá conhecimento do que Deus começou a fazer para procurar despertar os judeus. Diz-nos o homem de Deus que os judeus começaram a ter colheitas pequenas e a padecer dificuldades econômico-financeiras (Ag.1:6). 
- O povo havia retornado à Terra Prometida e, por conseguinte, voltara a valer o pacto firmado com Deus nos montes Ebal e Gerizim (Dt.27; Js.8:30-35), o chamado “pacto palestiniano”, no qual um dos primeiros sinais que Deus dava ao povo de que eles estavam a desobedecer-Lhe era a destruição das sementeiras, a perda da produtividade da terra (Lv.26:16; Dt.28:22).


Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.





Dinâmica Lição 05: Zorobabel recomeça a construção do templo


Dinâmica: Porta-Voz

Objetivos:
Introduzir o estudo sobre o resultado da mensagem profética quanto a reconstrução do templo.
Compreender e refletir sobre o significado da palavra “profeta” e sua função.

Material:
02 mensagens escritas de sua escolha

Procedimento:
- Escolham uma pessoa da classe, entreguem para ela uma mensagem escrita com tema de sua escolha e peçam para que transmita a mensagem para uma pessoa da classe, previamente determinada por você. Quem receber a mensagem, deverá saber quem a enviou.
- Escolham outra pessoa da classe, repitam o mesmo procedimento, só que a mensagem deverá ser para todos da classe.
- Agora, falem: as pessoas escolhidas para transmitir as mensagens, podem ser comparadas aos profetas que são porta-vozes de Deus, devidamente autorizados para falar em nome dEle, proferindo mensagem para quem Ele quer.
Nos 02 exemplos da classe, uma mensagem foi para uma pessoa e a outra para um grupo(a turma).
Nesta lição, vamos estudar que Deus levantou dois profetas(Ageu e Zacarias) para falar a líder político, líder sacerdotal e para o povo de Israel.
- Leiam:
“Havendo Deus, antigamente, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho”. Hb 1.1
 “E estendeu o Senhor a mão, tocou-me na boca e disse-me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca”. Jr 1.9
- Para concluir, falem: As mensagens dos profetas Ageu e Zacarias trouxeram grandes e importantes resultados. Vamos conhecê-los?

Por Sulamita Macedo.

terça-feira, 21 de julho de 2020

Subsídio Lição 4 - A construção do templo enfrentou oposição




INTRODUÇÃO - Na sequência do estudo da formação da “Comunidade do Segundo Templo” para extrairmos lições sobre avivamento, estudaremos o capítulo 4 de Esdras. - O avivamento não exclui a oposição do mundo ao povo de Deus. 

– A MOVIMENTAÇÃO DOS INIMIGOS DO POVO DE DEUS - Deixamos a lição anterior num momento singular por que passava o povo de Deus. Os judeus haviam retornado para a sua terra depois de 70 anos e visto a fidelidade do Senhor, que mantivera a terra deserta por 70 anos, não permitindo que ninguém a ocupasse, bem como cumprindo à risca a profecia de Jeremias.
 - Quando da chegada dos judeus, porém, logo perceberam eles que, apesar da proteção divina que permitiu o descanso da terra de seus sábados, os povos vizinhos não eram amistosos, não ficaram contentes com o retorno dos exilados. 
- Logo no início da reocupação, já houve uma movimentação destes povos a demonstrar seu desagrado, tanto que veio pavor sobre os judeus (Ed.3:3), pavor que, como vimos, levou o povo a voltar a priorizar as coisas de /Deus e a se reunir como um só homem em Jerusalém para renovar o altar e, mais do que isto, iniciar a reconstrução do templo. 
- Vemos, de pronto, que, embora não tenha o condão de impedir as ações divinas, a oposição ao povo de Deus é uma realidade sempre presente. As nações que viviam à volta de Judá não tinham podido ocupar a terra deixada pelos judaítas, não porque não a quisessem, mas única e exclusivamente porque Deus não o permitiu. 
- O povo de Deus aqui na Terra, por definição, é odiado pelo mundo. Que é o mundo? É o sistema comandado por Satanás, sistema este que está no maligno (I Jo.5:19), onde está o império da morte (Hb.2:14), ou seja, onde todos estão separados de Deus, sob o domínio do pecado (Jo.8:34), indo de mal a pior (II Tm.3:13), numa corrupção generalizada. 
- Sendo este sistema comandado por Satanás, que é o inimigo de Deus, temos que o mundo é, também, inimigo de Deus, tanto que as Escrituras nos dizem que quem se constitui em amigo do mundo, por esse fato se torna inimigo de Deus (Tg.4:4). 
- Assim, a partir do momento que Israel, no monte Sinai, aceitou a proposta divina de se tornar propriedade peculiar de Deus dentre todos os povos (Ex.19:5,6), passou a ser alvo do mundo, que, a partir de então, sempre se movimentou no intuito de destruir Israel como povo, o que prosseguirá até a redenção de Israel na 

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.




terça-feira, 14 de julho de 2020

Subsidio Lição 3 - O despertamento renova o altar





INTRODUÇÃO

-Na sequência do estudo sobre o avivamento com base nos episódios de formação da chamada ‘Comunidade do Segundo Templo’, analisaremos a narrativa da restauração do altar do Segundo Templo em Ed.3.-O avivamento espiritual revigora a adoração ao Senhor.

 O RETORNO DO CATIVEIRO-Deus ouviu a oração do profeta Daniel e o rei Ciro determinou que os judeus que quisessem poderiam retornar à Terra Prometida e, em o fazendo, deveriam reconstruir o templo em Jerusalém.-O rei Ciro, além de autorizar o retorno dos judeus e devolver todos os utensílios do templo de Jerusalém, mandou também que seus súditos, em todo seu vasto império, ajudassem com ouro, prata e fazenda, gado e outras dádivas para que se reconstruísse o templo, bem assim se pudesse ali fazer sacrifícios 9Ed.1:3,4). 

-Notemos, pois, que o Senhor ouviuplenamente o pedido de Daniel e cumpriu o que havia sido profetizado por Jeremias, dando todas as condições para que os judeus retornassem para a sua terra e reerguessem o templo, vez que não teriam que se preocupar nem com o custo da obra.-Deus semprecria circunstâncias favoráveis para que os homens façam a Sua vontade, para que eles atendam ao chamado do Senhor. O Senhor queria que Seu povo voltasse a a ocupar “a terra que mana leite e mel”, que retomasse Seu propósito de Lhe ser um povo santo e uma nação sacerdotal, e tomava todas as medidas para que os judeus reagissem favoravelmente a este desígnio.

-Hoje não é diferente. Deus sempre cria condições para que nós, que somos a Igreja, a nação santa, o sacerdócio real (I Pe.2:9), também venhamos a cumprir os desígnios divinos que, em nosso caso, são os de levar o Evangelho da graça de Deus a todos os povos, a todas as gentes, de anunciar que Deus quer salvar o homem na pessoa de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que morreu por nós, ressuscitou, subiu aos céus e está à direta do Pai, de onde virá para buscar o Seu povo antes da ira futura.

-Não podemos, de modo algum, alegar que não tínhamos condição de cumprir a obra do Senhor, de fazer-Lhe a vontade, pois Ele sempre cria todas as circunstâncias favoráveis para cumpramos o Seu desiderato. Paulo já afirmou que, quando Deus é por nós, ninguém poderá ser contra nós (Rm.8:31) e que nada nos pode separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm.8:38,390, tendo sido prometido, inclusive, que nem mesmo as hostes espirituais da maldade, teoricamente mais poderosas que nós, poderão prevalecer contra a Igreja (Mt.16:18; Ef.6:10-18; I Jo.4:4), até porque não se poderá ter tentação acima que sejamos capazes de suportar (I Co.10:13).


Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.



https://drive.google.com/file/d/1cChfDcj5JrUuobaC9iQNPK_G72F_LTud/view?usp=sharing

terça-feira, 7 de julho de 2020

Subsídio Lição 2 - Despertamento espiritual - um milagre




INTRODUÇÃO - Na sequência do estudo das lições que o avivamento espiritual experimentado por Israel desde o término do cativeiro até o governo de Neemias, estudaremos a respeito do que é o avivamento espiritual. - O avivamento espiritual é um milagre.

 I – O QUE É O AVIVAMENTO OU DESPERTAMENTO ESPIRITUAL - Na sequência do estudo a respeito das lições que podemos haurir sobre avivamento espiritual nos episódios que envolvem desde o término do cativeiro da Babilônia até o governo de Neemias, veremos hoje o que é propriamente um avivamento ou despertamento espiritual. - Cumpre observar, por primeiro, que as expressões “avivamento” e “despertamento” serão tomadas aqui como indistintas, como sinônimas, não havendo qualquer diferença entre elas, sendo que a Bíblia Sagrada se refere tanto a uma quanto a outra expressão. 
- Assim, se, por exemplo, o profeta Habacuque pede que a obra do Senhor seja “avivada” ao longo dos anos (Hc.3:2), o apóstolo Paulo conclama os salvos a “despertar” dentre os mortos (Ef.5:14). - - Avivamento é o ato de “tornar ou tornar-se mais vivo, reanimar ou reanimar-se, despertar, tornarse mais forte, mais intenso, aumentar, intensificar-se, tornar-se mais nítido, destacar-se, tornar-se mais ativo (diz-se de fogo, brasa etc.), tornar mais ágil, apressar” (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa). Como se pode, pois, observar, quando se fala em avivamento se está a falar de um estágio posterior ao de viver. Só pode ser avivado quem já está vivo e é por isto que este termo foi utilizado pelos pentecostais para se referir ao estágio espiritual posterior à conversão, para o apossamento das bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo (Ef.1:3). 
- A única vez que o termo aparece na Versão Almeida Revista e Corrigida (ARC) bem como na Nova Almeida Atualizada (NAA), as duas versões oficiais da Assembleias de Deus vinculadas à CGADB, é em Hc.3:2, onde o profeta, no início da sua oração que finaliza o seu livro, faz um pedido ao Senhor, depois de ter ouvido a Sua Palavra e temido: “Aviva, ó Senhor, a Tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira, lembra-Te da misericórdia” (ARC) ou “Senhor, tenho ouvido a Tua gama, e me sinto alarmado. Aviva a Tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida. Na Tua ira, lembra-Te da misericórdia” (NAA). “Aviva”, aqui, é tradução da palavra hebraica “chayah” )היה( cujo significado é “viver, fazer viver, manter vivo, viver prosperamente, viver para sempre, sustentar a vida, ser rápido, ser restaurado para a vida ou para a saúde”. A Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento) usa a palavra “katenoesa"(κατενόησα) cujo significado é “observar”, “reparar”, “contemplar”, “perceber”. 

OBS: A Nova Versão Internacional traduziu “aviva” como “realiza de novo”, enquanto a Nova Tradução na Linguagem de Hoje traduz a palavra por “Faze agora, no nosso tempo, as coisas maravilhosas que fizeste no passado”. A Tradução Ecumênica Brasileira traduz o termo por “vivam teus atos”, com nota em que afirma que o significado da expressão é “faze viver”, lembrando aqui a Edição Pastoral, que utiliza a expressão “faze-a reviver”, que também é seguida tanto pela Versão dos Monges de Mardesous segundo o Centro Bíblico Católico como pela Bíblia de Jerusalém. A Versão do Padre Antonio Pereira de Figueiredo traduz a palavra por “vivifica”. Já a Bíblia Viva, fugindo bem do significado, traduz o termo por “ajude-nos novamente nesta hora em que tanto precisamos de ajuda”. Mantém a mesma tradução da Versão Almeida Revista e Corrigida, as seguintes versões: Almeida Fiel e Corrigida, Almeida Atualizada, Bíblia na Linguagem de Hoje, Tradução Brasileira e Edição Contemporânea de Almeida.

 - Avivamento é, em primeiro lugar, o ato de tornar mais vivo, ou seja, transformar a vida espiritual em uma vida mais intensa, em uma vida abundante. Isto nos faz lembrar as palavras de Jesus que disse que tinha vindo ao mundo para que Seus discípulos tivessem vida, mas Sua missão não cessava aí. Tinha vindo para que houvesse vida e vida em abundância (Jo.10:10). 
Neste texto, vemos, claramente, que a obra de Cristo não se limitava a dar vida àqueles que estavam à mercê do trabalho do inimigo, que é roubar, matar e destruir, mas que esta vida deveria ser abundante na vida de cada um dos alcançados pela Sua obra salvadora. Vida abundante é uma vida em toda a sua plenitude, com todos os benefícios proporcionados pela comunhão com Deus. Vida é estar em comunhão com Deus, é não ter mais separação de Deus por causa do pecado, mas vida abundante é a comunhão com a presença de todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo. Por isso, um dos significados de “chayah” é o de “viver prosperamente”. 



Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.
 
 
 
https://drive.google.com/file/d/1Mb5_cNnWLuFunxvcoJ7WO2uesTqQCSmT/view?usp=sharing
 

Dinâmica Lição 02: Despertamento Espiritual - um milagre



Dinâmica: Tesouro Escondido
 
Objetivo:
Enfatizar que o despertamento faz o cristão guardar a Palavra de Deus.
 
Material:
01 Bíblia pequena
01 caixa em forma de coração.
Observação: A Bíblia deve caber dentro da caixa.
 
Procedimento:
 
 Antes da aula:
- Coloquem a Bíblia dentro da caixa. Realizem esta ação ainda em casa, para que os alunos não vejam o conteúdo.
 
Durante a aula:
- Falem que dentro da caixa há um objeto. Passem a caixa para cada aluno, para que descubram o que há dentro; orientem que podem balançar a caixa, mas não podem abri-la.
- Se alguém descobrir o conteúdo, abram a caixa, mostrem a Bíblia e leiam Salmo 119:11: “Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”.
- Se não descobrirem o conteúdo da caixa, façam o mesmo procedimento do item anterior.
- Para concluir, falem sobre a importância da leitura bíblica e também da obediência a Palavra de Deus.
Leiam:
“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”(Hebreus 4:12).
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”(Provérbios 4:23).
 
Por Sulamita Macedo.
fonte:  https://atitudedeaprendiz.blogspot.com/