Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

quarta-feira, 17 de agosto de 2022

Subsídio Lição 8 - A sutileza do enfraquecimento da identidade pentecostal

 


INTRODUÇÃO


- Na sequência do estudo dos ataques contra a Igreja de Cristo, veremos a sutileza do enfraquecimento da identidade pentecostal.
- A perda do fervor pentecostal é uma arma contra a evangelização do mundo e do crescimento espiritual da Igreja.


I – O QUE É AVIVAMENTO


- Avivamento é o ato de “tornar ou tornar-se mais vivo, reanimar ou reanimar-se, despertar, tornar-se mais forte, mais intenso, aumentar, intensificar-se, tornar-se mais nítido, destacar-se, tornar-se mais ativo (diz-se de fogo, brasa etc.), tornar mais ágil, apressar” (Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa). Como se pode, pois, observar, quando se fala em avivamento se está a falar de um estágio posterior ao de viver. Só pode ser avivado quem já está vivo e é por isto que este termo foi utilizado pelos pentecostais para se referir ao estágio espiritual posterior à conversão, para o apossamento das bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo (Ef.1:3).


- A única vez que o termo aparece na Versão Almeida Revista e Corrigida é em Hc.3:2, onde o profeta, no início da sua oração que finaliza o seu livro, faz um pedido ao Senhor, depois de ter ouvido a Sua Palavra e temido: “Aviva, ó Senhor, a Tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira, lembra-Te da misericórdia”. “Aviva”, aqui, é tradução da palavra hebraica “chayah”, cujo significado é “viver, fazer viver, manter vivo, viver prosperamente, viver para sempre, sustentar a vida, ser rápido, ser restaurado para a vida ou para a saúde”. A Septuaginta (versão grega do Antigo Testamento) usa a palavra “katenoesa"(κατενόησα) cujo significado é “observar”, “reparar”, “contemplar”, “perceber”.


OBS: A Nova Versão Internacional traduziu “aviva” como “realiza de novo”, enquanto a Nova Tradução na Linguagem de Hoje traduz a palavra por “Faze agora, no nosso tempo, as coisas maravilhosas que fizeste no passado”. A Tradução Ecumênica Brasileira traduz o termo por “vivam teus atos”, com nota em que afirma que o significado da expressão é “faze viver”, lembrando aqui a Edição Pastoral, que utiliza a expressão “faze-a reviver”, que também é seguida tanto pela Versão dos Monges de Mardesous segundo o Centro Bíblico Católico como pela Bíblia de Jerusalém. A Versão do Padre Antonio Pereira de Figueiredo traduz a palavra por “vivifica”. Já a Bíblia Viva, fugindo bem do significado, traduz o termo por “ajude-nos novamente nesta hora em que tanto precisamos de ajuda”. Mantém a mesma tradução da Versão Almeida Revista e Corrigida, as seguintes versões: Almeida Fiel e Corrigida, Almeida Atualizada, Bíblia na Linguagem de Hoje, Tradução Brasileira e Edição Contemporânea de Almeida.


- Avivamento é, em primeiro lugar, o ato de tornar mais vivo, ou seja, transformar a vida espiritual em uma vida mais intensa, em uma vida abundante. Isto nos faz lembrar as palavras de Jesus que disse que tinha vindo ao mundo para que Seus discípulos tivessem vida, mas Sua missão não cessava aí. Tinha vindo para que houvesse vida e vida em abundância (Jo.10:10). Neste texto, vemos, claramente, que a obra de Cristo não se limitava a dar vida àqueles que estavam à mercê do trabalho do inimigo, que é roubar, matar e destruir, mas que esta vida deveria ser abundante na vida de cada um dos alcançados pela Sua obra salvadora. Vida abundante é uma vida em toda a sua plenitude, com todos os benefícios proporcionados pela comunhão com Deus. Vida é estar em comunhão com Deus, é não ter mais separação de Deus por causa do pecado, mas vida abundante é a comunhão com a presença de todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo. Por isso, um dos significados de “chayah” é o de “viver prosperamente”.


- Avivamento é, em segundo lugar, o ato de reanimar, de despertar. Neste sentido, o conceito de avivamento nos lembra uma figura do mundo jurídico, que é o direito do proprietário de constranger o seu confinante a proceder com ele à aviventação dos rumos apagados, a renovação dos marcos destruídos ou arruinados (artigo 1.297 do Código Civil). O proprietário, pela lei brasileira, sempre que perceber que os marcos e os limites de sua propriedade encontram-se desgastados, desaparecidos ou prontos a desaparecer, pode fazer com que eles sejam “aviventados”, ou seja, voltem a ser notórios, públicos, conhecidos de todos

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos. 

 


 

Dinâmica Lição 08: A Sutileza do Enfraquecimento da Identidade Pentecostal

 

 

Dinâmica: Pentecostes

Objetivo:

Representar a descida do Espírito Santo através da expressão oral em várias línguas.

Material:

01 versículo bíblico em várias línguas, por exemplo: João 3.16 em Inglês, Francês, Espanhol, Português etc.

Vocês podem conseguir, o trecho bíblico em vários idiomas, através da Bíblia on line.

Português: Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

Inglês: For God so loved the world, that he gave his only begotten Son, that whosoever believeth on him should not perish, but have eternal life.

Espanhol: Porque de tal manera amó Dios al mundo, que ha dado á su Hijo unigénito, para que todo aquel que en él cree, no se pierda, mas tenga vida eterna.

Alemão: Also hat Gott die Welt geliebt, daß er seinen eingeborenen Sohn gab, auf daß alle, die an ihn glauben, nicht verloren werden, sondern das ewige Leben haben.

Francês: Car Dieu a tant aimé ceux qu’il a disposés, qu'il a donné son seul Fils engendré, afin que chacun d’eux qui croit en lui ne périsse point, mais qu'il ait la vie éternelle.

Procedimento:

- Falem sobre a descida do Espírito Santo que aconteceu de forma visível e audível.

- Leiam  Atos 2. 2 a 4:

“E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem”.

- Falem: Agora vamos representar de forma simples a expressão audível da descida do Espírito Santo.

Observação: Caso não haja alunos na sala que falem uma língua estrangeira, vocês podem pedir ajuda a outra pessoa da igreja que lhe auxilie, ou indicando pessoas para falar ou ensinar a pronúncia das palavras.

- Entreguem o versículo em línguas diferentes para os alunos.

- Solicitem que leiam o versículo, todos ao mesmo tempo.

- Leiam Atos 2. 6 ao 12.

Por Sulamita Macedo.

fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

terça-feira, 9 de agosto de 2022

Subsídio Lição 7 - A sutileza da relativização da Bíblia

 


INTRODUÇÃO


- Satanás é o pai da mentira e, por conseguinte, odeia a verdade.
- Desde o Éden, o diabo tenta relativizar a Palavra de Deus.


I – A ORIGEM DA BÍBLIA ESTÁ EM DEUS


- Na sequência do estudo dos ataques contra a Igreja de Cristo, veremos hoje a sutileza satânica da relativização da Bíblia.
- O primeiro item de nossa Declaração de Fé fala da nossa crença na Bíblia Sagrada, de sua autoridade e ser ela a nossa única regra de fé e prática. A colocação desta crença no início de nosso “Cremos” representou uma mudança em relação ao “Cremos” originariamente publicado desde 1969 no jornal “O Mensageiro da Paz”, onde era o segundo item, exatamente para que não haja qualquer dúvida de que, como herdeiros da Reforma Protestante, consideramos que “Só as Escrituras têm autoridade absoluta” (o chamado “Sola Scriptura”), também revelando que toda e qualquer “declaração de fé” não tem qualquer valor “normativo”, mas tão somente a Bíblia Sagrada, que é a Verdade, a Palavra de Deus (Jo.17:17).
- A Bíblia é a Palavra de Deus. Ela mesma assim se define e o cumprimento exato de tudo quanto nela está desde os primórdios da história da humanidade é a prova irrefutável de que ela é, sem sombra de dúvida, a Palavra de Deus, a revelação de Deus aos homens. Muitos têm tentado, ao longo dos séculos, levantar-se contra o Divino Livro, mas todos têm fracassado em seu intento de calá-la ou desacreditá-la, precisamente porque não se trata de uma obra feita pela mente, vontade ou imaginação humanas, mas tem sua origem, sua concepção e o zelo pelo seu cumprimento diretamente em Deus.
- No Sl.68:11a, é dito textualmente que “O Senhor deu a palavra”. Em Hb.1:1, o escritor afirma que o Senhor falou antigamente aos pais pelos profetas de muitas maneiras e uma destas maneiras foram as Escrituras, que compunham “a lei e os profetas” (Mt.7:12; 22:40), lembrando-se que “a lei” foi escrita por Moisés (Dt.31:24), sendo ele próprio, Moisés, um profeta (Dt.34:10).
- Mas o escritor aos hebreus não diz que eram divinas apenas as Escrituras que são o Antigo Testamento, mas, também, afirma que passou Deus a falar pelo Filho, que é o Verbo de Deus (Jo.1:1).
- Ora, o Filho já era revelado por intermédio das Escrituras do Antigo Testamento (Jo.5:39) e continuou a sê-lo através do Novo Testamento, que é o registro determinado pelo Espírito Santo para tudo quanto Jesus

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.

 


 

Dinâmica Lição 07: A Sutileza da Relativização da Bíblia

 

 

Dinâmica: A Bíblia é...

Objetivo: Iniciar o estudo sobre a Bíblia, enfatizando que continua atual e relevante para o mundo atual.

Material:

¼ de uma folha de papel ofício A4 colorido ou de cartolina de cores diferentes

Caneta para cada aluno

01 cartolina

01 tubo de cola branca

Procedimento:

Antes da aula:

Recortar os papéis ou cartolina conforme descrição no item material

Escrever em cada parte do papel a expressão: A Bíblia é...

Durante a aula:

- Para iniciar o estudo da lição, entreguem para cada aluno ¼ de uma folha de papel ofício A4 colorido ou de cartolinas de cores diferentes.

Em cada pedaço de papel deve estar escrita a expressão: A Bíblia é...

- Solicitem que eles completem a frase, escrevendo uma afirmação sobre a Bíblia. Não há necessidade de que eles se identifiquem.

Nestas frases aparecerão o que os alunos pensam e conhecem sobre a Bíblia.

- Depois, peçam para que os alunos coloquem em 01 cartolina estes papéis, utilizando cola branca.

- Em seguida, leiam as afirmações dos alunos sobre a Bíblia e comentem sobre o que eles escreveram.

- Para finalizar, falem que nesta aula eles terão mais conhecimento sobre o que a Bíblia é.

À medida que o conteúdo da lição for compartilhado, escrevam mais informações dando continuidade sobre o que a Bíblia é, enfatizando que continua atual e relevante para a humanidade.

Por Sulamita Macedo.

fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

terça-feira, 2 de agosto de 2022

Subsídio Lição 6 - A sutileza das ideologias contrárias à família

 


INTRODUÇÃO


- A família é a obra-prima da criação divina na face da Terra.
- Satanás procura destruir a família por ser ela uma instituição divina.


I - CONCEITO E ATRIBUIÇÕES DA FAMÍLIA


- Na sequência do estudo dos ataques contra a Igreja de Cristo, veremos hoje as ideologias contrárias à família.
- O primeiro grupo social a que uma pessoa pertence é a família, grupo criado pelo próprio Deus (Gn.2:23,24) e que procura suprir as necessidades sentimentais, afetivas e emocionais básicas do ser humano. A função da família é, precisamente, impedir que haja o sentimento de solidão, que caracterizava Adão antes da formação da mulher (Gn.2:20).
- Os homens, mesmo, sem conhecer a Palavra de Deus, reconhecem o papel fundamental que a família exerce na vida de um homem. A Declaração Universal dos Direitos do Homem afirma que "…a família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado." (artigo XVI, nº 3), preceito que é repetido pela Constituição brasileira, que afirma que "…a família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado…" (art.226). Entretanto, apesar dos preceitos normativos solenes, o adversário tem realizado um trabalho terrível de destruição contra a família, até porque seu trabalho é o de matar, roubar e destruir (Jo.10:10).
- Deus não só criou a família como estabeleceu quais as regras e as condutas que devem ser observadas pelos membros da família. As Escrituras trazem quais os parâmetros do relacionamento entre cônjuges, entre pais e filhos e entre irmãos. O segredo da felicidade no relacionamento familiar está em ter uma conduta conforme a Bíblia Sagrada.
- Como a família foi criada por Deus, é Ele quem deve estabelecer as regras, as normas ao homem, a quem cabe, simplesmente, obedecer. A família não é nossa criação, nem pode ser estruturada segundo os nossos conceitos ou a nossa vontade. Existem princípios que devem ser seguidos. Muito se fala, hoje, a respeito da diversidade de culturas, dos diferentes modos de vida das várias raças, tribos e nações em volta do mundo, mas isto não é suficiente para que consideremos que os princípios estabelecidos por Deus não devam ser observados por todos os homens. Os homens, envolvidos em seus delitos e pecados, acabam distorcendo os princípios estabelecidos por Deus e cabe à igreja, como defensora destes princípios, imergir nas culturas dos povos de modo a que tais culturas sejam transformadas e voltem aos princípios estatuídos pelo Senhor. Observemos que, entre os próprios judeus, a dureza de coração foi responsável pela existência de normas

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos. 

 


 

Dinâmica Lição 06: A Sutileza das Ideologias contrárias à Família

 

Dinâmica: Ele e Ela

Objetivo: Estudar sobre o modelo bíblico para o casamento: monogâmico e heterossexual.

Material:

01 tesoura

Nomes de casais da Bíblia digitados( os nomes devem estar lado a lado, por exemplo ADÃO   EVA)

Vejam esta lista de 20 casais:

Adão e Eva, Abraão e Sara, Isaque e Rebeca, Sansão e Dalila, Elcana e Ana, Jacó e Raquel, Boaz e Rute, Zacarias e Isabel, José e Maria, Ananias e Safira, Áquila e Priscila, Acabe e Jezabel, Amã e Zeres, Assuero e Ester, Nabal e Abigail, Elimeleque e Noemi, Moisés e Zípora, José(governador) e Azenate, Esaú e Judite e Davi e Mical.

Procedimento:

- Falem que vocês vão realizar agora uma atividade para introcuzir o tema sobre o casamento bíblico.

- Observem o número de alunos, pois é importante que a quantidade seja par. Se um aluno sobrar, um professor pode formar dupla com ele.

- Observem estas orientações abaixo para a formação de pares(casais bíblicos):

Alternativa 01:

Se vocês tiverem 20 alunos, vocês  formarão 10 casais. Daí, a importância de só cortar os nomes dos membros que formam o casal, quando tiver certeza da quantidade.

Cuidado para não distribuir nome de um membro de um casal e não haver o seu par, por exemplo: alguém recebeu o nome DAVI e ninguém recebeu MICAL.

Vocês podem indagar: E se minha classe for só de mulheres, ou só de homens, ou mesmo mista e não conseguir formar casal mulher com homem?

A ideia aqui é a formação de casais da Bíblia, não tem ou não deve haver qualquer conotação de formação de casais do mesmo sexo.

Alternativa 02:

Se sua classe for de mulheres, entregar apenas nomes femininos para as alunas. O nome do par masculino correspondente, vocês colocam em cima de uma mesa para as alunas procurarem.

Se sua classe for de homens, entregar apenas nomes masculinos  para as alunos. O nome do par feminino correspondente, vocês colocam em cima de uma mesa para os alunos procurarem.

- Agora, solicitem para que formem os pares, por exemplo: Zacarias deve procurar Izabel e vice-versa etc.

- Quando os casais estiverem formados, organizem todos os pares em um círculo.

- Peçam para que os casais se apresentem, falando: Eu sou Ananias, eu sou Safira...

- Falem: O que vocês observam desta formação dos casais?

Aguardem as respostas.

Espera-se que os alunos apontem que cada casal é formado por homem e mulher.

- Falem que este é o modelo de casamento bíblico e em seguida leiam:

“E criou Deus o homem à sua imagem; á imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn 1.27).

“Portanto, deixará o varão o seu e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gn 2.24).

- Agora, iniciem o estudo sobre o casamento bíblico.

Por Sulamita Macedo.

fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

 

terça-feira, 26 de julho de 2022

Subsídio Lição 5 - A sutileza do materialismo e do ateísmo

 


INTRODUÇÃO


- Nos dias em que vivemos, ganharam destaque o materialismo e o ateísmo, pensamentos existentes ao longo da história da humanidade.
- A Igreja tem sido influenciada pelo crescimento destes pensamentos.


I – O PENSAMENTO MATERIALISTA AO LONGO DOS SÉCULOS


- O mundo sem Deus, que está no maligno (I Jo.5:19b), tem, ao longo da sua existência, privilegiado dois pensamentos que, vez por outra, alcançam a adesão de milhares, de milhões de seres humanos: o materialismo, que é a posição que se recusa a crer em algo além do puramente material, que se volta única e exclusivamente para as coisas da natureza, para as coisas desta terra e o ateísmo, que é a recusa à crença na existência de Deus.
- Nos dias difíceis em que estamos vivendo, o materialismo e o ateísmo têm alcançado grande projeção no “modus vivendi” das pessoas, ainda que, nos últimos tempos, a atuação maligna seja mais forte no sentido de exploração do vazio existencial decorrente do ápice que materialismo e ateísmo tiveram no século XX, mormente mediante a filosofia materialista histórica, que chegou a dominar praticamente metade do mundo quando da implantação dos regimes de inspiração marxista-leninista, que desmoronaram a partir do final da década de 1980, ainda que o movimento comunista prossiga alcançando a mentalidade de importantes segmentos, sem se falar que é a China, hoje, uma candidata a superpotência mundial e seja um país com tal inspiração.
- O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa define materialismo como sendo a “doutrina que identifica, na matéria e em seu movimento, a realidade fundamental do universo, com a capacidade de explicação para todos os fenômenos naturais, sociais e mentais”. Como ensinam Hilton Japiassu e Danilo Marcondes, “…de modo gera, portanto, o materialismo nega a existência da alma (…), bem como a realidade de um mundo espiritual ou divino cuja existência seria independente do mundo material. O próprio pensamento teria uma origem material, como um produto dos processos de funcionamento do cérebro.…” (Materialismo.In: Dicionário básico de filosofia, p.163).
- O materialismo caracteriza-se, portanto, como todo e qualquer pensamento que entende que, no universo, só existe a matéria, ou seja, substância sólida, corpórea. Este pensamento não é novidade na história da humanidade. Os primeiros filósofos ocidentais, na Grécia, voltaram-se para a discussão a respeito do que seria a matéria e não poucos deles viram a realidade como sendo puramente material.

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.