Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

SUBSÍDIO LIÇÃO Nº 9–VIVENDO O FERVOR ESPIRITUAL

 


 

INTRODUÇÃO

-A renovação espiritual do crente é uma das operações do Espírito Santo que mais destaque tem encontrado, nos últimos anos, no meio do povo de Deus.  

-O crescimento da iniquidade e o cumprimento dos demais sinais da vinda do Senhor têm demonstrado a necessidade de vivermos conforme as Escrituras, aguardando o Senhor, o que implica a pregação do chamado "avivamento" ou "renovação espiritual" por parte daqueles que têm a incumbência de promover o aperfeiçoamento dos crentes nestes dias tão trabalhosos.-Entretanto, ao mesmo tempo em que se põe o assunto na ordem do dia, a má compreensão do que seja esta "renovação espiritual" ou "avivamento" têm servido, precisamente, para que surjam falsos ensinamentos e doutrinas que, ao em vez de trazer maior espiritualidade e santidade ao povo de Deus, tem, tão somente, sido uma forma de introdução de repentina perdição aos incautos e ignorantes, daí porque a necessidade de entendermos que a "renovação espiritual" ou "avivamento" não é o resultado de "momentos", mas, como ensina sabiamente R.N. Champlin, "...as experiências emocionais podem ser o estopim de renovações imediatas, mas provisórias. O crescimento espiritual, porém, garante a continuidade da renovação mental, moral e espiritual do crente." (Renovação. In: Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, v.5, p.660). "Renovação espiritual" ou "avivamento" não é um "momento", mas é uma "vida com Deus".I  

-A RENOVAÇÃO ESPIRITUAL NA VIDA DO CRENTE

 -O título da nossa lição é “vivendo o fervor espiritual”. Só se pode falar em “viver fervor espiritual”, se admitirmos que a operação do Espírito Santo é contínua, ou seja, não tem qualquer alteração desde o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes do ano 29.-Quando admitimos que o Espírito Santo, como diz o item 4 do Cremos da Declaração de Fé das Assembleias de Deus, “...falou por meio dos profetas e continua guiando o Seu povo...”, e, como afirma o item 10, que cremos “...na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacitava viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb.9:14; I Pe. 1:15)”, é evidente que não podemos imaginar numa vida de comunhão com Deus sem que se mantenha ativa a operação do Espírito Santo em nós, sem que haja o “fervor espiritual”. 

 -Por isso, precisamos estar em “novidade de vida”, ou seja, necessitamos ter contínua renovação espiritual.

-Ao falarmos em renovação espiritual, devemos, em primeiro lugar, que, quando falamos em "renovação", estamos nos referindo ao "ato de renovar", ou seja, o "ato de fazer algo novo outra vez". -Ora, algo somente se tornará novo outra vez, se chegou a ficar velho, antigo ou ultrapassado. Assim, por exemplo, se falamos que vamos "renovar" a mobília de nossa casa, estamos dizendo, com isso, que os móveis que hoje temos estão velhos, antiquados, usados, que não mais servem para satisfazer nossas necessidades ou nos trazer satisfação. Aliás, como bem esclarece o escritor da epístola aos Hebreus, quando dizemos que algo está velho, é porque este algo está perto de acabar (Hb.8:13).-Surge, então, um problema sério: se falamos que o crente precisa sofrer uma "renovação espiritual", dizemos que o crente está envelhecendo, que o crente está antiquado, já não mais serve para os propósitos divinos, não se satisfaz nem traz satisfação para o Senhor. 

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.

 


Dinâmica Lição 09: Vivendo o Fervor Espiritual

 

Dinâmica: Plantado em Boa Terra

Objetivos:

Refletir sobre os cuidados com a vida espiritual.

Enfatizar a importância de estar cheio do Espírito.

Material: 

½ folha de papel ofício e caneta para cada aluno

Procedimento:

- Iniciem lendo a parábola do Semeador(Mc  4. 3 a 8, 20).

- Falem: vocês receberam a semente em seus corações, escutando a palavra de Deus e aceitando a proposta de ingresso no Reino de Deus.

- Falem ainda que no Salmo 01.2, o justo é comparado a uma “árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria...”

- Distribuam para os alunos a metade de papel ofício e solicitem que desenhem uma árvore com as raízes a mostra, conforme modelo ao lado.

- Peçam para que escrevam em que eles estão firmados, na parte onde estão as raízes, por exemplo: na Palavra de Deus, em Jesus etc.

- Falem: Após o Novo Nascimento, o crente deve buscar maturidade espiritual, firmeza de fé, está cheio do Espírito, que obtemos através do estudo da Bíblia, comunhão com o Senhor, oração e obediência a Sua Palavra. Esse cuidado deve ser observado diariamente para que a frieza espiritual não apareça.

A Palavra de Deus nos adverte:

“... Enchei-vos do Espírito”(Ef. 5.18).

“Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito”(Gl 5:25).

- Para concluir, perguntem:

Como estão suas raízes? Rasas ou profundas?

Sua árvore está frutificando?

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança”(Gl 5:22).

Peçam aos alunos para que guardem o desenho e pelo menos uma vez por mês deem uma olhada nele e reflitam sobre sua “árvore espiritual”.

Por Sulamita Macedo.

fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

Subsídio LIÇÃO Nº 8 – COMPROMETIDOS COM A PALAVRA DE DEUS

 


 

INTRODUÇÃO

 -Paulo denomina a Igreja de “coluna e firmeza da verdade” (I Tm.3:15). Como corpo de Cristo, que é a Verdade (Jo.14:6), a Igreja é a única instituição sobre a face da Terra que pode viver a verdade e, por isso, sustentá-la e defendê-la num mundo que vive enganado pelo pai da mentira.-Como guardiã da verdade e se santificando nela (Jo.17:17), a Igreja tem a difícil tarefa de proclamar, sustentar e defender a sã doutrina, a Palavra de Deus. Lamentavelmente, porém, nos dias de apostasia em que vivemos, cada vez mais notamos o abandono da verdade por milhares de sedizentes cristãos. 

I O QUE É DOUTRINA E O SEU PAPEL NA IGREJA 

-Doutrina é palavra de origem latina, cujo significado é “conjunto coerente de ideias fundamentais a serem transmitidas, ensinadas”.Em latim, “doctrina” significa “ensino, instrução dada ou recebida, arte, ciência, doutrina, teoria, método”. Assim, a doutrina é um ensinamento, uma instrução que alguém dá a outrem. Aliás, a palavra “doctrina” é derivada de “docere”, que significa ensinar. Doutrina, portanto, é um ensinamento, um ensino, uma instrução que alguém que sabe (o sábio ou “doutor”) dá a alguém que não sabe (o aprendiz).-Vemos, portanto, pelo seu significado latino, que “doutrina” significa ensino e, portanto, quando falamos em “doutrina bíblica” estamos a falar no “ensino da Bíblia”.Ora, a Bíblia é a Palavra de Deus e, portanto, o “ensino da Bíblia” nada mais é que o ensino da Palavra de Deus, o ensino de Deus ao homem. “Doutrina”, portanto, é o ensino que Deus dá ao homem a partir da Sua Palavra, da revelação divina à humanidade, que consta da Bíblia Sagrada.-Ora, se a doutrina é a Palavra de Deus e esta Palavra, como nos ensinou Jesus, é a Verdade (Jo.17:17), quando o apóstolo Paulo denomina a Igreja de “coluna e firmeza da verdade”(I Tm.3:15), está a dizer que a Igreja é a “coluna e firmeza da doutrina”, ou seja, cabe à Igreja sustentar e manter a doutrina, a Palavra de Deus.

 -A primeira vez que surge a palavra “doutrina” nas Versões Almeida (Revista, Corrigida, Fiel e Contemporânea) é em Dt.32:2, onde, no cântico de Moisés, consta a expressão “goteje a minha doutrina”, palavra que é a tradução de “leqach”(לקח), cujo significado é ensino”, “instrução”, tanto que a palavra é traduzida por “ensino” em outras versões bíblicas (como a Tradução Brasileira, a Nova Tradução na Linguagem de Hoje e a Nova Versão Internacional). Neste primeiro aparecimento da palavra, ainda que em  

1º Trim.de 2021: O VERDADEIRO PENTECOSTALISMO: 

A atualidade da doutrina bíblica sobre a atuação do Espírito SantoPortal Escola Dominicalwww.portalebd.org.brAjude a manter este trabalho 

 Deposite qualquer valor em nome de: Associação para promoção do Ensino Bíblico Bancodo Brasil Ag. 1815-5 c/c 135720-4um contexto poético, percebe-se claramente que Moisés considera que todos os ensinos que havia dado ao povo de Israel, ensinos estes que eram resultado da revelação divina ao próprio Moisés, constituíam ensinos que deveriam ser continuamente ministrados ao povo e que representavam para este povo a sua própria fonte de vida, a sua própria renovação, pois deveriam estes ensinos “gotejarem”, ou seja, pouco a pouco, de forma contínua e permanente, cair sobre o povo, a fim de lhe dar vida, assim como a chuva e o orvalho, pela manhã, fazem em relação à terra.-Esta expressão de Moisés, também, mostra-nos que a doutrina é algo que vem do alto, que vem do céu, seja na forma de chuva, seja por meio da condensação do vapor d’água encontrado no ar(o orvalho), indicando-se que a doutrina não é obra do homem, mas resultado da revelação divina, de um ensino vindo diretamente da parte do Senhor. 

 -Por fim, a expressão de Moisés dá-nos a nítida noção de que o trabalho da doutrina é manter a vida e uma vida renovada no ser humano, pois é comparada ao chuvisco sobre a erva e a gotas d’água sobre a relva. Todos nós já divisamos, pela manhã cedinho, o orvalho que está a manter molhadas as ervas e a relva, mantendo-as bem verdes, dando-lhes vida, vigor e exuberância (i.e., beleza). Os campos verdes, pela manhã, aquele frescor que sentimos quando nos encontramos em uma área verde logo pela manhã, que tão bem nos faz à saúde, é o resultado desta ação refrescante da chuva e do orvalho. Este é o papel da doutrina em nossa vida espiritual: refrigério para a nossa alma, renovação de nossas forças espirituais, concessão de beleza e de prazer aos nossos corações e a todos quantos travam contacto conosco. Bem se vê, portanto, que bem ao contrário dos que dizem que a doutrina torna o homem insensível a Deus, vemos que o papel da doutrina é precisamente o de nos conceder vida, vida abundante, refrescor e sensibilidade diante de Deus e dos homens

 

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.
 
 

 

 

Dinâmica Lição 08: Comprometidos com a Palavra de Deus

 

Dinâmica: Tesouro Escondido

Objetivos:

Reconhecer a autoridade da Bíblia e sua inspiração pelo Espírito Santo.

Apontar para a relevância da Palavra de Deus quanto à formação do caráter cristão.

Incentivar a observância da Palavra de Deus.

Material:

01 Bíblia pequena

01 caixa em forma de coração.

Observação: A Bíblia deve caber dentro da caixa.

Procedimento:

Antes da aula:

- Coloquem a Bíblia dentro da caixa. Realizem esta ação ainda em casa, para que os alunos não vejam o conteúdo.

Durante a aula:

- Falem: Dentro da caixa há um objeto. Passem a caixa para cada aluno, para que descubram o que há dentro; orientem que podem balançar a caixa, mas não podem abri-la.

- Se alguém descobrir o conteúdo, abram a caixa, mostrem a Bíblia e leiam Salmo 119:11: “Escondi a Tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”. A palavra de Deus é o tesouro que deve estar bem escondido no nosso coração

- Se não descobrirem o conteúdo da caixa, façam o mesmo procedimento do item anterior.

- Para concluir, falem sobre a importância da leitura e o ensino bíblico para a formação do caráter cristão e também da obediência à Palavra de Deus. Cremos na autoridade da Bíblia, inspirada pelo Espírito Santo.

- Depois, leiam 2 Pedro 1:19-21:

“E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.

Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.

Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo”.

Por Sulamita Macedo.

fonte:  http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

EBO 2021 - Escola Bíblica de Obreiros

 

 Para assistir a EBO não precisa estar inscrito. 

*A inscrição somente será exigida caso o aluno deseje contar essa EBO para efeito de formatura

Inscrições e Informações no site Oficial:

CLIQUE AQUI

SUBSÍDIO LIÇÃO Nº 7 –CULTUANDO A DEUS COM LIBERDADE E REVERÊNCIA

 


 

INTRODUÇÃO 

 -O movimento pentecostal tem como uma de suascaracterísticas mais marcantes a de permitir a plena liberdade do Espírito Santo nas reuniões de adoração, o que faz realçar a comunhão entre Deus e Seus servos e entre os próprios servos entre si, fator que tem sido reconhecido por muitos como um dos principais motivos para o seu crescimento vertiginoso. 

OBS: Em uma de suas obras, o ex-Presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso, com a autoridade de sociólogo internacionalmente reconhecido, não deixa de se juntar aos que reconhecem este fato: “...Atualmente, existe uma dimensão de solidariedade virtual no comportamento e mesmo uma busca de formas de sociabilidade que animem um sentimento de coesão social (basta constatar a expansão das religiões pentecostais, ou os movimentos ambientalistas)(...). 

As religiões reformadas, sobretudo as pentecostais, guardam, é certo, importante papel socializador, principalmente junto às camadas mais pobres e menos integradas à sociedade. Dão a seus crentes acesso a setores sociais, localizados muitas vezes em estratos mais altos da hierarquia social. Funcionam segmentadamente como fator de coesão e de integração social, mas também sem perspectivanacional....(A arte da política: a história que vivi, pp.511 e 679).

 -Entretanto, embora a presença atuante do Espírito Santo traga um fervor e um vigor espirituais similares ao da igreja primitiva, precisamos estar bem conscientes de que Deus não é Deus de confusão ou de desordem e que, portanto, todo culto, por mais poderoso e fervoroso que seja, sempre será uma demonstração de ordem e decência.

 O CRENTE TEM O DEVER DE ADORAR A DEUS 

-O homem, como ser racional e moral criado por Deus, deve adorá-l’O, porquanto é preciso reconhecer que Deus é o Senhor de todas as coisas, inclusive do próprio ser humano. Como Deus fez o homem com esta capacidade de discernimento, é um imperativo que venha a adorar ao Senhor. Por isso, Jesus disse, quando de Sua tentação, que se deve adorar somente ao Senhor e a Ele servir (Mt.4:10). 

-A adoração, embora envolva o culto formal a Deus numa igreja, não se confunde com esta prática, pois é algo que deve estar presente em todas as ações do ser humano, tanto que Jesus nos ensinou que os verdadeiros adoradores adoram a Deus em espírito e em verdade (Jo.4:23), ou seja, em todo o tempo, independentemente de local ou ocasião.

 -A Declaração de Fé das Assembleias de Deus afirma que “...Cremos, professamos e ensinamentos que a adoração é um serviço sagrado, culto, reverência a Deus por aquilo que Ele é e por Suas obras: ‘Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele servirás’ (Mt.4:10)...” (DFAD XV, p.143)

 

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.

 



Dinâmica Lição 07: Cultuando a Deus com Liberdade e Reverência

 

 

Dinâmica: Primeiro as primeiras coisas

Objetivos:

Ilustrar a importância das prioridades na liturgia do culto.

Refletir sobre as prioridades nas nossas vidas.

Material:

- 02 vasos transparentes de tamanho pequeno ou médio

- Aproximadamente ½ kg de arroz cru

- 04 bombons tipo serenata de amor (pode ser mais, depende do tamanho do vaso).

 Importante! Façam esta dinâmica, primeiro, em casa para ter certeza da quantidade de arroz e bombons que serão utilizados para as duas situações descritas abaixo.

Procedimento:

- Perguntem: Quais as partes principais do culto?

Para cada resposta certa, vocês colocam 01 bombom dentro de um dos vasos, até completar a quantidade de quatro. Os bombons deverão caber dentro do vaso e não deverão ultrapassar a borda do vaso.

- Falem: Este vaso representa a totalidade do culto, colocamos até o momento, as partes principais do culto.

- Apresentem o arroz e perguntem: Esta quantidade de arroz cabe dentro deste vaso?(aponte para o vaso que tem os bombons dentro).

Coloquem, com cuidado, o arroz até a borda.

Agora falem: esta parte de arroz representa as outras partes do culto, além daquelas já apontadas como prioridades.

Leiam I Co 14.40: “Mas faça-se tudo decentemente e com ordem”.

- Agora, faça o processo inverso.

Peguem o outro vaso, coloquem o arroz e depois os bombons, com as mesmas quantidades do procedimento anterior.

O que aconteceu? Por que os bombons não cabem totalmente no vaso?

Falem: O arroz colocado em primeiro lugar representa alguma parte do culto com tempo exagerado (geralmente os cânticos), ficando o que é prioritário com pouco espaço ou até mesmo sem espaço.

- Concluam falando sobre a importância do que é prioritário na liturgia do culto.

- Reflitam, ainda, com os alunos que isto também pode acontecer em nossas vidas.

O que temos como prioridade?

Leiam Mt 6.33: “Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.

Ideia Original desconhecida.

Esta versão da dinâmica por Sulamita Macedo.

fonte:  http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

terça-feira, 2 de fevereiro de 2021

Subsídio Lição 6 - Santificação: comprometidos com a ética do Espírito

 



INTRODUÇÃO 

- A justificação do salvo dá-se mediante a fé em Cristo Jesus, mas esta fé precisa ser demonstrada a cada momento, não se esgotando apenas no ato da regeneração. A salvação é um contínuo processo que, iniciando-se na regeneração, fruto do arrependimento e da conversão, prossegue, após a justificação, mediante a santificação, até o instante final da glorificação. 

- A vida cristã somente pode progredir e se desenvolver se houver separação do pecado, o que deve ser perseguido até o dia do arrebatamento da Igreja. 

I – A SANTIFICAÇÃO POSICIONAL E O INÍCIO DO CONFLITO ENTRE A CARNE E O ESPÍRITO 

- Na epístola que Paulo escreveu aos romanos, o principal texto bíblico a respeito da salvação, um dos pilares da Reforma Protestante, o apóstolo discute como o homem alcança a sua justificação, uma vez que é um contumaz pecador e, por causa disto, merecedor da condenação divina, vez que se trata de um ser que, por natureza, é injusto, já que pecado é iniquidade, é injustiça (I Jo.3:4). 

- O apóstolo demonstra que esta justificação é devida única e exclusivamente à fé que temos em Jesus Cristo que, por nós, pagou o preço da salvação, morrendo na cruz do Calvário em nosso lugar, embora jamais tenha pecado, a fim de permitir que, mediante a fé n’Ele, sejamos perdoados dos nossos pecados e postos numa posição de justiça, uma vez que os nossos pecados são imputados ao Senhor e a justiça do Senhor é dada, gratuitamente, a cada um daqueles que crê em Jesus. 

- É esta imputação da justiça de Cristo em nós em que consiste a justificação. Por isso, a partir do momento em que cremos em Jesus, passamos a ser justificados e mudamos de posição diante de Deus que não nos vê como éramos, mas que, agora, por causa de Cristo, nos vê como pessoas justas. - Ao mudarmos de posição diante de Deus, alcançamos o que os estudiosos da Bíblia denominam de “santificação posicional”, “…ato soberano de Deus, mediante a obra de Cristo (Hb.10:9-10)…” (GONÇALVES, Jayro. 

O papel da Igreja no século XXI(3). Vigiai e orai. Disponível em < http://www.google.com/search?q=cache:vEcdkMOmKsAJ:www.irmaos.com/vigiaieorai/103.2.jsp+%2 2santifica%C3%A7%C3%A3o+posicional%22&hl=pt-BR&gl=br&ct=clnk&cd=1> Acesso em 21 jun. 2006). - Esta santificação não se deve a qualquer obra humana, mas à vontade de Deus (Hb.3:1; Rm.1:7) e, por isso, é perfeita e completa. A partir do instante em que aceitamos a Cristo como nosso Senhor e Salvador,

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.

 


Dinâmica Lição 06: Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito

 

Dinâmica: Santificação

Objetivos:

Enfatizar que o Espírito Santo é fonte da santidade.

Refletir sobre a necessidade de um posicionamento quanto à santificação.

Material:

01 caixa

01 chocolate ou bala para cada aluno

Versículo digitado: “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”(1 Pedro 1:15).

01 grampeador

Procedimento:

Antes da aula:

Prendam o versículo no chocolate utilizando o grampeador

Coloquem dentro da caixa

Na aula:

- Apresentem uma caixa, não falem o que tem dentro.

- Façam um certo suspense e depois perguntem se alguém tem coragem de colocar a mão dentro caixa.

Façam uma contagem, escrevendo a quantidade dos:

Que vão colocar a mão dentro da caixa

Que não vão colocar a mão dentro da caixa

Que estão indecisos

É interessante que haja estes 03 tipos de pessoas.

- Depois, peçam para que os alunos que decidiram colocar a mão dentro da caixa, para que com cuidado ponham a mão dentro dela.

Isto deve acontecer com todos os alunos que responderam afirmativamente. Orientem para que não falem sobre o que pegaram.

Neste momento, pode acontecer de algum aluno desistir. Tente convencê-lo, mas se houver resistência, não insista.

- Falem: Nesta atividade, vocês tiveram 03 posicionamentos. Dessa mesma forma, as pessoas possuem 03 ações diferentes quanto a santificação. Uns escolhem uma vida de santidade, outros não querem e outros ficam indecisos, cambaleantes. Mas, Deus requer de nós um posicionamento quanto a uma vida de santidade, sabendo que sua fonte está no Espírito Santo.

- Para concluir, abram a caixa e entreguem para eles um chocolate, com um versículo fixado com grampeador: “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”(1 Pedro 1:15).

Por Sulamita Macedo.

fonte:http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/