Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Subsídio LIÇÃO Nº 5 – A UNIDADE DA RAÇA HUMANA




INTRODUÇÃO

- Na sequência do estudo sobre o homem, veremos que a humanidade é única.
- A humanidade tem um só ancestral, somos todos irmãos.

I – A HUMANIDADE TEM APENAS UM ANCESTRAL
- Na sequência do estudo da doutrina bíblica do homem, analisaremos hoje a unidade da raça humana.
- Quando contemplamos os bilhões de seres humanos que habitam a face da Terra no presente momento ( a população estimada do mundo em abril de 2019 era de 7,7 bilhões de pessoas), observamos que outros tantos bilhões já devem ter povoado a Terra desde a criação do homem e ao verificarmos que não há dois seres humanos iguais ou idênticos, como demonstram as técnicas de identificação, parece mesmo difícil entender que a humanidade tenha alguma unidade.

- Aliás, a tônica desses nossos tempos trabalhosos é a insistência exatamente no contrário. Em vez de se falar em unidade da humanidade, há uma apologia da diversidade. É costumeiro defender-se a “diversidade cultural”, a “diversidade sexual” e tantas outras coisas que fazem parecer que todos nós somos diferentes uns dos outros e que estas diferenças precisam ser realçadas, respeitadas e mantidas.

- Ao mesmo tempo, entretanto, há uma forte tendência no sentido da “uniformização” de técnicas, condutas e procedimentos, que têm a nítida finalidade de estabelecer um rígido controle sobre todos os homens, com a defesa de um “governo mundial” ou, pelo menos, de uma “estrutura global”. É a defesa do “globalismo” que, em meio a este discurso das diferenças, quer impor um “modus vivendi” que, não sem razão, procura aniquilar a diversidade de pensamento e a liberdade de expressão, tendo sido nítido este movimento, por exemplo, na verdadeira cruzada que se está a fazer para inibir a liberdade de expressão nas redes sociais.

- Tem-se, assim, um nítido movimento pendular entre a unidade e a diversidade, entre a igualdade e a diferença, criando paradoxos e dilemas que somente se podem bem esclarecer se bem entendermos o significado de unidade e diversidade entre os seres humanos, o que somente é bem compreendido quando vamos à Bíblia Sagrada, onde Deus nos revela como fez a humanidade.

- Esta problemática há pouco anunciada, conquanto esteja se aguçando em nossos dias, em que a facilidade de comunicação faz com que se sintam e percebam estas diferenças e este “espírito de uniformização”, não é, entretanto, qualquer novidade, sendo um dos temas com que se ocupa a mente humana desde os primórdios da história, até porque é propósito divino que o homem mesmo procure entender o que está à sua volta (Ec.1:13).

- Prova disso é que, levado ao Areópago, o local onde se reuniam os sábios da Grécia Antiga, em Atenas, Grécia que é o berço da filosofia, o apóstolo Paulo não deixou de cuidar desta questão, fazendo todos aqueles filósofos saber que “de um só fez toda a geração dos homens, para habitar sobre

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.






Dinâmica Lição 05: A Unidade da Raça Humana



Dinâmica: Unidade

Objetivo:
Refletir sobre a unidade do corpo de Cristo.

Material:
Para o grupo 01: 01 folha de papel ofício e coleção de lápis colorido.
Para o grupo 02: 04 tesouras, 02 tubos de cola, 11 lápis coloridos e 11 folhas de papel ofício, estando escrito nelas as seguintes indicações para desenhar, conforme descrição abaixo:
Folha 01: Cabeça
Folha 02: Pescoço
Folha 03: Tronco (humano)
Folha 04: Braço direito
Folha 05: Braço esquerdo
Folha 06: Mão direita
Folha 07: Mão esquerda
Folha 08: Perna direita
Folha 09: Perna esquerda
Folha 10: Pé direito
Folha 11: Pé esquerdo

Procedimento:
1 - Falem: acabamos de estudar sobre a origem divina do ser humano, sua unidade racial, psicológica, emocional, linguística, que se originou de Adão e Eva. Somos única família, somos irmãos e somos todos um. Esta ideia é reforçada na Igreja, o corpo de Cristo. Vamos refletir sobre a unidade do corpo de Cristo?
2 - Depois, dividam a turma em dois grupos e forneçam as seguintes orientações:
Para o grupo 01:
- Desenhar um boneco, utilizando uma folha de papel ofício e uma coleção de lápis colorido, mas trabalhando em equipe. Para isso, esta atividade deverá ser executada sem que as pessoas do grupo 02 vejam o que está sendo desenvolvido.
Para o grupo 02(com 11 pessoas):
- Cada componente desenhará uma parte do boneco, individualmente, sem que os colegas vejam, para isso é recomendado que os membros deste grupo estejam separados.
- Montar o boneco, recortando as partes desenhadas e colando-as.
3 – Peçam ao grupo 01 e 02 para apresentar os dois bonecos.
4 – Solicitem para que observem o resultado de cada grupo.
O grupo 01 tem um boneco com partes proporcionais e uniformes.  O grupo 02, embora apresentem um boneco com as características semelhantes ao boneco 01, tem um resultado disforme, desorganizado e desproporcional.
Perguntem: Por que são diferentes?
O Grupo 01 tem um resultado melhor porque trabalharam em equipe, houve unidade para o desenvolvimento do trabalho.
O Grupo 02 tem um mau resultado porque não trabalharam com união, não trabalharam de forma coletiva.
Quais conclusões podemos extrair dessa dinâmica para nossa vida cristã? Falem da importância da unidade e a comunhão que deve haver no Corpo de Cristo.
5 – Para concluir, leiam: I co 12. 12 e 27; Sl 133.01; Fp 2. 1 a 5.
Ideia original desconhecida.


Esta versão da dinâmica por Sulamita Macedo.
fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

SUBSÍDIO Lição 4 - Os atributos do ser humano




INTRODUÇÃO

- O ser humano foi criado à imagem e semelhança de Deus.

- Como toda criatura, o homem foi criado perfeito e com atributos que o faziam semelhante a seu Criador.

I – HOMEM: IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS

- O homem foi criado à imagem e semelhança de Deus. Foi este o propósito divino, como se verifica de Gn.1:26, quando se salienta que o projeto do Senhor era criar um ser que fosse “Sua imagem e semelhança”,

um reflexo do Criador entre as criaturas terrenas.
- Deus é bom (Mt.19:17; Mc.10:18; Lc.18:19) e tudo quanto criou, por conseguinte, é bom (Gn.1:31), incluído nisto o próprio ser humano, que as Escrituras afirmam ter sido criado reto (Ec.7:29).

- Ser “imagem e semelhança” é ser “reflexo”, é reproduzir, trazer à lembrança o próprio Deus na criação terrena. Foi este o propósito de Deus ao criar o ser humano: ter um ser que refletisse a glória de Deus na criação terrena, que mostrasse a presença do Senhor de forma palpável num universo físico.

- Este propósito divino foi plenamente realizado, pois o querer divino se equipara ao efetuar (Fp.2:13). Verdade é que o homem pecou e teve a sua queda, passando a ter uma natureza decaída, depravada, mas o fato é que não foi criado assim e se faz mister sabermos como Deus criou o homem, pois a salvação nada mais é que a restauração deste estado inicial do ser humano, ainda que, efetivamente, a salvação não só restaura como eleva a própria dignidade do ser humano.

- Esta condição de ser imagem e semelhança de Deus é, a propósito, a própria dignidade da pessoa humana, dignidade esta que é hoje plenamente reconhecida no direito internacional, como, por exemplo, na Declaração Universal dos Direitos Humanos, que afirma, no seu introito, que “…o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo…” ou, mesmo, a nossa Constituição, que diz serem um dos fundamentos de nosso país precisamente a dignidade da pessoa humana.

- Os seres humanos têm um valor intrínseco, merecem ser respeitados pelo simples fato de existirem exatamente porque cada pessoa é “imagem e semelhança de Deus”. Foi assim que Deus fez o homem e mesmo o pecado não tem o poder de destruir tal circunstância, uma vez que nenhum pecado é maior do que o Criador. Verdade é que tal imagem hoje se encontra distorcida, enfraquecida, desvirtuada por causa do pecado, mas nunca pode ser considerada como completamente destruída.

- É este homem criado por Deus, imagem e semelhança de Deus, que se apresenta como o homem que é buscado, querido e almejado pelos seres humanos, que, como parte da criação, também está gemendo para que haja a “manifestação dos filhos de Deus” (Rm.8:19), que nada mais é que a completa restauração do estado anterior ao pecado (At.3:21).

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo





DINÂMICA Lição 04: Os Atributos do Ser Humano



Dinâmica: Convivência em Revisão!

Objetivos:
Reafirmar que o ser humano é um ser sociável.
Analisar as ações no âmbito familiar, quanto à convivência.

Material:
01 caixa
01 tesoura
01 prego
01 lixa
01 chave
01 cotonete
Observação: coloquem todos os objetos, apontados acima, dentro da caixa

Procedimento:
- Apresentem a caixa.
- Falem que dentro da caixa há vários objetos, que poderão ou não ser utilizados, dependendo tão somente de nossa iniciativa.
- Então, comecem a mostrar cada um deles, perguntando para que servem.
Por exemplo:

Tesoura: cortar, separar, dividir, retirar excessos.
Prego: Fixar, unir.
Lixa: Retirar as asperezas, os excessos.
Chave: Abrir ou fechar.
Cotonete: Limpar ouvido.

- Agora, perguntem: Como estes objetos, figuradamente, podem ser utilizados para que o relacionamento na família seja melhorado?
Exemplos:
Tesoura: Cortar, separando o que deve permanecer daquilo que deve ser rejeitado.
Prego: Fixar a Palavra de Deus nas nossas mentes, unindo o que lemos com as ações que executamos.
Lixa: Retirar o que está em excesso, deixando limpo sem “asperezas”.
Chave: Abrir espaço para ações benéficas. Fechar espaço para atitudes destrutivas promotoras de desavenças.
Cotonete: Retirar aquilo que nos impede de escutar o outro.
- Para finalizar, façam um breve comentário sobre os benefícios e malefícios causados pelas atitudes dos membros familiares, proporcionando ou não ambiente de boa convivência, respeitando uns aos outros. Deus nos fez serem sociáveis, mas precisamos ter cuidado com as palavras e ações nos relacionamentos em família e com os amigos.
Ideia original desconhecida.


Esta versão da dinâmica por Sulamita Macedo.
fonte: http://atitudedeaprendiz.blogspot.com/

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

SUBSÍDIO Lição 3 - A natureza do ser humano




INTRODUÇÃO - O ser humano é tricotômico.

- A tricotomia mostra a natureza do homem como imagem e semelhança de Deus, elo entre o mundo material e o mundo espiritual.

I – A ESTRUTURA TRICOTÔMICA DO SER HUMANO

- Na sequência do estudo sobre a doutrina do homem, veremos hoje a sua natureza, ou seja, qual a estrutura criada por Deus para o ser humano.

- Já vimos na primeira lição que um dos fatores que faz do homem imagem e semelhança de Deus é a “tricotomia”. O pastor Elienai Cabral, consultor teológico da CPAD, assim afirma: “O homem é um ser tricótomo (1Ts 5.23; Hb 4.12). O termo tricotomia significa aquilo que é dividido em três ou ‘que se divide em três tomos’. Em relação ao homem, o termo tricotomia refere-se às três partes do seu ser: corpo, alma e espírito. Há divergência neste ponto entre alguns teólogos. Há aqueles que entendem o homem como apenas um ser dicótomo, ou seja, que se divide em duas partes: corpo e alma (ou espírito). Os defensores da dicotomia do homem unem alma e espírito como sendo uma e a mesma coisa. Entretanto, parece-nos  mais aceitável o ponto de vista da tricotomia. Esse conceito da tricotomia crê que o homem é uma triunidade composta e inseparável. Só a morte física é capaz de separar as partes: o corpo de sua parte imaterial.…” (A tricotomia do homem. Disponível em: http://www.cpadnews.com.br/blog/elienaicabral/fe-e-razao/22/atricotomia-do-homem.html Acesso em 12 nov. 2019).

- Esta tricotomia reflete, assim, no ser humano, a triunidade divina. Deus é três em um, ou seja, um único Deus em três Pessoas distintas (I Jo.5:7). O ser humano, também, é apenas um ser, um indivíduo, mas cada indivíduo é dotado de três partes: o corpo, a alma e o espírito.

- Evidentemente que temos aqui uma semelhança. Cada Pessoa divina não é uma parte, é uma Pessoa completa, embora as três Pessoas não sejam três deuses, mas o único Senhor e Deus (Dt.6:4), enquanto que corpo, alma e espírito são, sim, partes de um mesmo indivíduo, tanto que há a separação entre a parte material, o corpo, e a parte imaterial, alma e espírito, quando da morte física, separação que findará por ocasião da ressurreição. De qualquer modo, lembremos sempre, o homem é “semelhante” a Deus, jamais igual a seu Criador. - Esta tricotomia fica evidenciada no relato da criação do homem. Ali é dito que o Senhor formou o homem do pó da terra (Gn.2:7), mostrando, assim, que o homem é composto de uma parte material, retirada do universo físico que o próprio Deus havia criado. Com efeito, a ciência no-lo tem mostrado, o homem possui, em seu corpo, todos os elementos químicos naturais da Terra, elementos estes que são em número de 92, a mostrar que o homem é a síntese da própria natureza. Esta parte material é chamada de “corpo” ou “homem exterior” (II Co.4:16). 



Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.


https://drive.google.com/file/d/1SPVcJgvabeWARVOWNENUlDcai-WdlMgn/view?usp=sharing



 

quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

Subsídio Lição 2 - A criação de Eva, a primeira mulher




INTRODUÇÃO - A mulher foi criada de modo especial.

- As Escrituras mostram serem homem e mulher complementares, iguais diante de Deus mas diferentes entre si.

I – A DESCRIÇÃO DA CRIAÇÃO DA MULHER

- No prosseguimento do estudo sobre a origem da raça humana, que é o primeiro bloco deste trimestre em que estamos a perquirir sobre a doutrina do homem, a chamada Antropologia Teológica, hoje iremos minudenciar a criação da mulher.

- Cumpre observar, portanto, que “Adão”, o primeiro homem, é o ancestral de toda a raça humana e, por isso mesmo, é ele conhecido como o “pai da humanidade”, o representante de toda a humanidade, já que todos os demais seres humanos provêm dele, inclusive a própria mulher (I Co.11:8).

- Depois de ter criado o homem, posto o mesmo no jardim e lhe dado instruções, o Senhor verificou que o homem não podia viver solitário, era um ser social. Por isso, afirmou para Si mesmo: “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele” (Gn.2:18).

- É evidente que esta consideração divina não decorreu de um “erro de cálculo”. Trata-se tão somente de uma forma de expressão que permita a nós entendermos o que foi a deliberação divina. 

- Em Gn.1:26, já vimos que o Senhor quis criar o homem sexuado, macho e fêmea, e aqui, em Gn.2:18, há apenas uma expressão que nos permita vislumbrar este projeto divino.

- Deus já sabia que o homem que criara era um ser social, que dependia de companhia para poder não só sobreviver como cumprir o propósito que Deus dele queria, mas, como havia feito o homem como um ser racional, capaz de pensar e de se relacionar com seu Criador, o Senhor, de modo pedagógico, quis que o homem tivesse consciência de sua potencialidade e, por isso mesmo, antes de criar a mulher, quis que o homem sentisse a necessidade que tinha de companhia, tivesse consciência de sua natureza social.

- Assim, o Senhor leva todos os animais criados à presença de Adão e lhe manda que desse nome a todos eles (Gn.2:19). Ao fazê-lo, o Senhor quis mostrar ao homem que ele era o dominador de toda a criação terrena, pois o gesto de dar nome a alguém é uma demonstração de autoridade sobre aquele ser que é nomeado. 

- Nossos pais revelam o domínio que tem sobre nós precisamente porque são eles que nos dão o nome que temos, lembrando que, na cultura oriental, o nome não é apenas uma designação, como é na cultura ocidental, mas um sinal de identidade, uma demonstração do caráter do ser.
 

Quer continuar lendo? Para continuar lendo este artigo baixe os anexos nos links abaixo.Bons estudos.
 
 
 
https://drive.google.com/file/d/1ZRl3mcb0mJ5V4Lcv9HZrB8fY0LbfP9VO/view?usp=sharing
 
 

DINÂMICA Lição 02: A Criação de Eva, a Primeira Mulher



Dinâmica: Super Virtuosa
 
Objetivo: Refletir sobre as inúmeras atividades que a mulher exerce, que devem ser acompanhadas das virtudes descritas em Provérbios 31.
 
Material:
01 espelho grande
01 pincel atômico
 
Procedimento:
- Apresentem um espelho grande e deixem que elas se olhem.
- Falem: Cada uma de vocês é uma mulher que tem sua individualidade, suas características próprias.
Falem ainda: cada mulher é única, mas precisa se dividir em várias funções para cumprir sua tarefa de mulher.
- Então, com o pincel atômico comecem a dividir o espelho em várias partes para demonstrar a multiplicação de atividades que a mulher exerce.
- Solicitem que elas falem escrevam o nome das diversões atividades que elas exercem dentro de cada parte dividida.
- Depois, falem: Não temos superpoderes, mas temos a grande capacidade de ser múltiplas sendo apenas uma, realizando várias coisas ao mesmo tempo.
- Para realizar tantas tarefas com qualidade, precisamos observar algumas virtudes, que encontramos descritas em Provérbios 31: 10 a 30.
10 A mulher é preciosa
11 A mulher é confiável
12 A mulher é abençoadora
13, 19, 22a, 27 A mulher é trabalhadora
14, 15, 18b, 21 A mulher é administradora organizada
16, 24  A mulher é negociadora
17 A mulher é forte
18a A mulher é boa produtora de bens
20 A mulher é generosa
22b A mulher é elegante
23 A mulher é refletida no seu marido
26 A mulher é sábia e prudente
28 A mulher é bem aventurada
30 A mulher teme ao Senhor
- Depois, leiam com todas as alunas Pv 31.10a “Mulher virtuosa quem a achará?
 
Por Sulamita Macedo.
FONTE:  https://atitudedeaprendiz.blogspot.com/