Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

Fotos 19º SEMINÁRIO

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Dinâmica da Lição 05: A Maravilhosa Graça (Adultos)



Dinâmica: A Graça de Deus

Objetivo:
Compreender que somos perdoados e salvos não por obras meritórias, mas pela graça de Jesus.

Material didático:
Alguns bombons.
Quadro de giz.

Atividade didática:
Escreva no quadro de giz as seguintes perguntas: "Qual o tema central desta lição?" , "O que significa a palavra graça?", "Quantas vezes a palavra graça existe na Bíblia?", "Qual a maior manifestação da graça de Deus ao homem?" e “Quais os dois inimigos da graça?” Escolha cinco alunos para que respondam. Mesmo que os alunos errem as resposta, diga: "Muito bem! Recebam um prêmio". Dê um bombom para os alunos que participaram. Na sequência, enfatize que, na verdade, eles não mereciam o bombom, pois não acertaram as respostas, porém você decidiu presenteá-los. Explique que assim é a graça de Deus. Graça significa "favor imerecido". Diga que ninguém é salvo e recebe as bênçãos de Deus porque é bom. A salvação e as bênçãos são presentes gratuitos de Deus. Não recebemos a salvação porque tivemos um bom desempenho. Nós não merecemos, mas por causa da misericórdia, do amor, da compaixão e da bondade e da graça de Deus. Em seguida, leia e discuta com os alunos os seguintes textos: Efésios 2.8,9; Tito 3.5; Romanos 3.20. Conclua mostrando que Deus é em sua essência justiça e vida. Ainda que não temos como fazer nada para receber Seu perdão e a sua salvação, Ele nos salvou apenas pela fé que depositamos nele. Isso é misericórdia, graça, ou seja, favor imerecido.
Respostas das perguntas:
-Qual o tema central desta lição?  R. A Maravilhosa graça
-O que significa a palavra graça? R. Favor imerecido
-Quantas vezes a palavra graça existe na Bíblia? R. 217 vezes
-Qual a maior manifestação da graça de Deus ao homem? R. A salvação Tt 2.11.
- Quais os dois inimigos da graça? R. Antinomismo e legalismo.

Texto: Mergulhe no oceano da graça

Diz-se que, antes de um rio cair no oceano ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada, os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre. Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência. Você pode apenas ir em frente. O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.
E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece. Porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se oceano.
No reino espiritual também é assim. A salvação é como entrar no oceano. Quando mergulhamos nela, nos tornamos mais que oceanos. Sabe por quê? Porque passamos, não somente a ser grandes, mas também a ser eternos e ter comunhão com o Pai, por isso podemos chegar com confiança e sem reservas ao trono da graça. Há abundante graça de Deus para sua vida, desfrute-a!

Texto extraído do Estudo da Célula – Igreja da Paz Fortaleza



Professor, antes de dar esta aula pesquise com muito afinco todos os pontos abordados em seu Plano de Aula, pois não adianta falar só de achismo, ou porque conheceu este Blog e acha suficiente para dar aula. Entenda que eu não conheço a realidade social, psicológica, física e espiritual de seus alunos, por isso, tente chegar no âmago das dúvidas de seus alunos, não os faça de meros espectadores de um "show" de conhecimento, pois isso não será suficiente, o conteúdo precisa de aplicabilidade para a situação de vida de seus alunos e isso é o mais importante. Deguste à vontade o conhecimento, mas não ache que irá inculcá-lo de uma hora pra outra nos seus alunos, por isso procure ser criativo na exposição do assunto.

Desejamos que esta aula seja portadora de grandes frutos para vida de seus alunos!


Por Roberto José


Dinâmica 02: A Graça de Deus

Objetivo: Refletir sobre a Graça de Deus, a salvação, que é para todos.

Material:
01 caixa de presente
Balas ou chocolate(01 para cada aluno)
Versículo digitado em tamanho pequeno – Tito 2.11 “Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos e os homens”.
Frase digitada da largura da caixa: “Este presente não é somente seu, distribua com os colegas”.
Papéis para sorteio

Procedimento:
ANTES DA AULA:
- Fixem os versículos nas balas com grampeador, se preferir vocês podem colar.
- Escrever o nome dos alunos para o sorteio.
- Arrumem a caixa da seguinte forma:
As balas no fundo da caixa.
Por cima das balas, coloquem a frase digitada no papel da largura da caixa: “Este presente não é somente seu, distribua com os colegas”.
DURANTE A AULA:
- Apresentem a caixa de presentes.
- Falem que na caixa há algo muito importante.
- Falem: Quem deseja receber este presente?
- Façam o sorteio do presente.
- Orientem ao ganhador para que ele abra caixa de presentes.
O aluno deverá abri-la e realizar a orientação contida na caixa, já descrita acima.
- Depois, os alunos deverão ler o versículo que está pregado na bala.
- Para concluir falem, a salvação pela Graça é para todos, é um presente muito valioso que recebemos de Deus. Da mesma forma, que o presente(apresentem a caixa) não era somente para um, mas para todos vocês, assim também a salvação para todos quantos aceitam a Cristo.
Por Sulamita Macedo.
Texto Pedagógico
Os Pilares da Educação

            São quatro os pilares da educação, de acordo com o relatório que contém o eixo condutor para a educação do século XXI, organizado por diversos pesquisadores de várias partes do mundo, no final do século passado.
Conforme conclusão dos especialistas, os alunos, para que ajam de forma eficaz, precisam ter competências para o desenvolvimento do ser humano, tais como: “Aprender a Conhecer”, “Aprender a Fazer”, “Aprender a Conviver” e “Aprender a Ser”, convergindo para a educação integral.
De acordo com o dicionário, a palavra “pilar” tem o significado de coluna que sustenta uma construção. O conhecimento a ser ensinado para os alunos está em construção e deverão ser aprendidos mediante os pilares já mencionados.
Vejamos como estas aprendizagens “Aprender a Conhecer”, “Aprender a Fazer”, “Aprender a Conviver” e “Aprender a Ser” podem ser observadas e praticadas na Educação Cristã e principalmente na Escola Bíblica Dominical.
Antes, porém, é necessário que se entenda o que significa cada aprendizagem. Os pilares são apresentados separados para melhor compreensão do leitor, mas eles devem acontecer de forma conjunta.
Aprender a Conhecer se refere às competências para a compreensão daquilo que está sendo ensinado não de forma passiva, mas com participação do aluno para que a informação se transforme em conhecimento, não apenas vendo o que o professor está realizando, mas como ser ativo do seu próprio conhecimento. Pode-se também afirmar que “Aprender a Conhecer” é também “Aprender a Aprender”.
O conteúdo a ser ministrado na EBD deve ser de forma que não seja unilateral, isto é, somente o professor fala sem a participação dos alunos. O docente deve proporcionar espaço para o aluno ao ser instigado, busque o conhecimento, através de situações diversas que possibilitem a apropriação do conhecimento. A Palavra de Deus recomenda: “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo”(II Pe 3.18).
Aprender a Fazer se refere à aprendizagem para as atividades do cotidiano da sala de aula para que o aluno entenda e descubra o conhecimento através das práticas realizadas durante o processo de ensino.
Na educação Cristã, o conteúdo a ser ensinado deve ser forma que saia do campo teórico e o aluno possa transformar este conhecimento em prática cristã. O professor precisa contextualizar o que está ensinando com a vida cristã do seu aluno, para que diariamente ponha em prática os ensinamentos bíblicos. O apóstolo Paulo recomenda: “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei”(Filipenses 4:9).
Aprender a Conviver se refere a ter oportunidade para se relacionar com seus pares, com os diferentes, evitar conflitos, respeitar as opiniões divergentes, relacionar-se de forma adequada com as pessoas, através de regras básicas de convivência.
A Escola Dominical é um espaço educativo no qual a convivência e a comunhão devem acontecer a contento. A convivência pode e deve se realizar dentro e fora da EBD. Os relacionamentos precisam ser alargados e ao mesmo tempo estreitados e solidificados com a socialização entre os professores, alunos e demais componentes. O apóstolo Tiago orienta: “Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria”(3:13).
Aprender a Ser se refere ao desenvolvimento da responsabilidade pessoal, ética, moral, reflexão crítica, iniciativa, autonomia, criatividade, valorização do outro.
Na Escola Dominical, estes pontos elencados acima podem ser trabalhados nas atividades propostas na aula, para tanto o professor deve proporcionar situações que podem favorecer o “aprender a ser”, tomando atitudes relevantes diante das experiências da sala de aula. A Bíblia adverte: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros”(Filipenses 2. 3,4).
Poucos são os professores da Escola Bíblica Dominical que têm consciência da importância desses pilares para formação integral dos alunos.  Observa-se que estes pilares estão sumidos ou quase desaparecidos de muitas classes de EBD. A Bíblia indaga: “Se forem destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo?”(Salmo 11:3). O que os professores, coordenação pedagógica, diretores de EBD podem fazer diante da ausência desses pilares no ensino?
É necessário ter consciência de que os pilares são importantes para a construção do conhecimento na Educação Cristã, pois a Palavra de Deus ao ser ensinada transformará a vida do aluno, quando ele entende e torna-se prático para ele. Outro ponto a ser mencionado é a mudança de mentalidade por parte dos professores no sentido de entender e agir para que a aprendizagem se concretize através da busca pelo conhecimento, com atitudes reflexivas diante das situações propostas, com respeito ao outro na convivência e na diversidade, formando o ser integral.
Sendo assim, as mudanças ocorrerão, pois trabalhar dentro desta perspectiva implica em entender que ensinar vai além do transmitir informações e do acúmulo de conhecimento, dissociado da vida do aluno.  Para que isto ocorra de forma exitosa é importante a escolha de metodologias que desencadeiem experiências de aprendizagem de conhecer, de fazer, de conviver e de ser.


Por Sulamita Macedo.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Dinâmica da Lição 04: Os Benefícios da Justificação (Adultos)


Dinâmica: Seis importantes benefícios da justificação

Objetivo:
Despertar nos alunos o desejo de desfrutar das bênçãos que acompanham a justificação.

Material didático:
Papel A4 ou ofício
Canetas
Questões para dinâmica.

Atividade didática:
Inicie explicando que o apostolo Paulo, no capítulo em estudo, apresenta seis importantes bênçãos que acompanham a justificação, conforme relação logo abaixo:
OS BENEFÍCIOS DA JUSTIFICAÇÃO (5.1-21)
1. Paz com Deus (5.1).
2. Acesso à graça, pela fé (5.2).
3. Esperança da glória de Deus (5.2).
4. Alegria nas tribulações (5.3-5).
5. O amor divino derramado em nós (5.5b).
6. O amor de Deus demonstrado a nós através da morte de seu Filho (5.6-11).
Divida a turma em três grupos. Entregue a cada grupo uma folha de papel A4 ou ofício e uma caneta. Cada grupo receberá dois temas.
Os grupos deverão analisar os temas que receberam e, baseados nos temas, deverão responder as seguintes perguntas:
O que significa?
Como obter?
Quando obter?
Por que obter?
Qual a relação com a justificação?
Dê a cada grupo 7 minutos para responder as questões e 5 minutos para apresentar as suas conclusões. Cada grupo deve escolher um representante para fazer a apresentação.


Professor, antes de dar esta aula pesquise com muito afinco todos os pontos abordados em seu Plano de Aula, pois não adianta falar só de achismo, ou porque conheceu este Blog e acha suficiente para dar aula. Entenda que eu não conheço a realidade social, psicológica, física e espiritual de seus alunos, por isso, tente chegar no âmago das dúvidas de seus alunos, não os faça de meros espectadores de um "show" de conhecimento, pois isso não será suficiente, o conteúdo precisa de aplicabilidade para a situação de vida de seus alunos e isso é o mais importante. Deguste à vontade o conhecimento, mas não ache que irá inculcá-lo de uma hora pra outra nos seus alunos, por isso procure ser criativo na exposição do assunto.

Desejamos que esta aula seja portadora de grandes frutos para vida de seus alunos!


Por Roberto José

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Dinâmica da Lição 03: Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo (adultos)


Dinâmica: Justificados pela fé

Objetivo:
Compreender que somos justificados não por obras meritórias, mas pela fé em Jesus.

Material didático:
Alguns bombons.
Quadro de giz.

Atividade didática:
Escreva no quadro de giz as seguintes perguntas: "Qual o tema central desta lição?" , " O que significa a palavra Justificação?", " Existem méritos humanos quando Deus justifica o homem?", " A justificação pela fé torna a lei desprezível?" e “Por que a lei não justificava o homem?” Escolha cinco alunos para que respondam. Mesmo que os alunos errem as resposta, diga: "Muito bem! Recebam um prêmio". Dê um bombom para os alunos que participaram. Na sequência, enfatize que, na verdade, eles não mereciam o bombom, pois não acertaram as respostas, porém você decidiu presenteá-los. Explique que assim é a justificação de Deus. Diga que ninguém é justificado e recebe as bênçãos de Deus porque é bom. A justificação e as bênçãos são presentes gratuitos de Deus dados por fé. Não somos justificados porque tivemos um bom desempenho. Nós não merecemos, mas por causa da fé, do amor, da compaixão e da bondade e da graça de Deus. Em seguida, leia e discuta com os alunos os seguintes textos:
Rm 5.1 - A justificação é pela fé
Tg 2.24 - A justificação é pelas obras
Agora pergunte: Quem está certo, Tiago ou Paulo? A justificação é por obras ou pela fé? Uns vão responder que Paulo está certo,  outros vão dizer que é Tiago, mas uma parte vão dizer que são os dois. Então pergunte como pode me expliquem?

Explicação:
Diga que Paulo estava falando da pessoa que não conhece a Deus e precisa conhecê-lo.  Essa pessoa não é justificada pelo Senhor trazendo em seu currículo as boas obras que praticou, ele só precisa da fé. Enquanto que Tiago está se referindo a pessoa que já conhece a Deus e já foi justificada por Deus pela fé, no entanto não pratica as obras de um verdadeiro cristão, nesse caso, a fé apenas não pode justifica-lo é preciso que sua fé seja evidenciada por obras que demonstre o seu verdadeiro cristianismo.

Respostas das perguntas:
-Qual o tema central desta lição?  R. Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
-O que significa a palavra Justificação? R. Declarar justo.
-Existem méritos humanos quando Deus justifica o homem? R. Não, tudo é pela fé.
- A justificação pela fé torna a lei desprezível? R. Não, porém homem algum foi capaz de cumprir a lei.
-Por que a lei não justificava o homem? Por que ela só apresentava o problema e não a solução.

Professor, antes de dar esta aula pesquise com muito afinco todos os pontos abordados em seu Plano de Aula, pois não adianta falar só de achismo, ou porque conheceu este Blog e acha suficiente para dar aula. Entenda que eu não conheço a realidade social, psicológica, física e espiritual de seus alunos, por isso, tente chegar no âmago das dúvidas de seus alunos, não os faça de meros espectadores de um "show" de conhecimento, pois isso não será suficiente, o conteúdo precisa de aplicabilidade para a situação de vida de seus alunos e isso é o mais importante. Deguste à vontade o conhecimento, mas não ache que irá inculcá-lo de uma hora pra outra nos seus alunos, por isso procure ser criativo na exposição do assunto.


Desejamos que esta aula seja portadora de grandes frutos para vida de seus alunos!

Por Roberto José



Dinâmica: A sentença do Juiz

Objetivo: Iniciar o estudo sobre a justificação.

Material:
Papéis com o nome RÉU para cada aluno de um lado do papel; do outro lado do mesmo papel deve estar escrito “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”(Romanos 3:23).
Papel com o nome ACUSADOR
Papel com o nome ADVOGADO DE DEFESA
Papel com o nome JUIZ
Papel com a seguinte afirmação “Eu declaro o homem inocente, pois foi justificado por Jesus”.

Procedimento:
- Escolher 04 alunos para representar o RÉU, ACUSADOR, ADVOGADO DE DEFESA e JUIZ.
- Os demais alunos recebem um papel com o nome RÉU, atrás deve está escrito o versículo, conforme descrição no item material.
- Aparece o aluno que representa o acusador, acusando o homem do seu pecado.
- Em seguida, vem o aluno representando Jesus como advogado, defendendo o réu(o homem) e fala que morreu no lugar dele para que tivesse perdão de seus pecados.
- Por fim aparece o aluno que representa Deus e ler a sentença dele como juiz, declaro o homem inocente, pois foi justificado por Jesus.
- Em seguida, iniciem o estudo sobre a justificação.
Por Sulamita Macedo.

Texto Pedagógico

Não faça drama!
Saiba como utilizar a dramatização como instrumento de aprendizagem na EBD

            A dramatização como instrumento de aprendizagem consiste na representação de um fato, uma história através da atuação dos alunos como “atores”, com o objetivo de promover o ensino e aprendizagem, através da expressão simbólica.
            A dramatização, no espaço educativo da EBD, é possível, mas é necessário atentar para alguns pontos, como a realidade do ambiente de realização da EBD, o tempo de aula, a habilidade do professor e dos alunos e a escolha de um texto adequado com o tema da aula.
A utilização da dramatização na Escola Dominical deve ser breve, sem muitos detalhes, como cenários, figurinos e outros objetos que compõem a cena, tendo em vista o ambiente da aula, pois normalmente é realizada dentro do templo. Mas, se desejar utilizar outro local disponível da igreja, é interessante reservar este espaço com o superintendente com antecedência.

Levando em consideração o tempo de aula que normalmente gira em torno de 60 minutos, uma encenação deve ter no máximo 10 minutos, para que depois haja tempo suficiente para a explanação do tema em estudo, que foi introduzido pela dramatização. Esta também pode ser utilizada no final da aula, para a conclusão de um tema.
Outro fator importante é habilidade do professor para organizar a dramatização de forma simples. Para isto ele precisa saber o que deseja realizar com os alunos de forma planejada, escolher a dramatização adequada para o tema, convencer os alunos a participar e deixar claro que na atividade cênica não deve ser observada a atuação perfeita dos “atores”, mas a representação de papéis dentro de um contexto narrativo, objetivando a facilitação do ensino e da aprendizagem na aula da EBD.
É interessante que ao escolher um texto para dramatizar, o professor observe quem são os personagens, quais as falas de cada uma delas, fazer cópias do texto já organizado para dramatização para cada pessoa envolvida na representação, tanto para os atores como para os figurantes, o narrador(se houver necessidade), para que todos saibam o momento de sua fala, o tempo de permanecer ou sair da cena; é importante também observar quais objetos poderão ser utilizados na dramatização e a arrumação do ambiente.
As vantagens do uso deste método de ensino são várias, tais como: desenvolvimento da comunicação, da linguagem oral e corporal, da socialização, da integração, da motivação, da participação, além é claro da aprendizagem através do processo representativo, favorecendo a análise da situação dramatizada.
As desvantagens também aparecem, como em todo método de ensino: os alunos inibidos podem não querer participar, mas devem ser estimulados; a ambientação da EBD não favorece a dramatização de forma mais específica, mas veja as possibilidades de uso já citadas acima.
            A dramatização deve ser entendida como um instrumento didático de ensino, pois se apresenta como uma forma de analisar um tema, promovendo e resgatando a participação dos alunos tanto na representação, como também no momento de estudo do tema.
            Então, que tal utilizar a dramatização nas aulas de EBD?


Por Sulamita Macedo.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Dinâmica da Lição 02: A Necessidade Universal da Salvação em Cristo (Adultos)



Dinâmica: Salvos e Religados a Deus

Objetivo:
Destacar que Jesus é a única forma divina de salvar e levar a humanidade a Deus.

Material didático:
02 garrafas pet com água (para dar mais estabilidade)
Fita adesiva
04 papeis recortados (Um com o nome DEUS, outro com o nome HUMANIDADE, outro com o nome PECADO e outro como nome JESUS CRISTO)

Atividade didática:
Traga a sala de aula duas garrafas pet com água. Cole em uma das garrafas pet o nome DEUS e na outra o nome HUMANIDADE. Inicie a dinâmica colocando as garrafas uma próxima da outra e diga que, ao ser criado, esta era a condição do ser humano diante do Senhor, ou seja, aproximação e comunhão com Deus. Explique que o homem conversava com o seu Criador todo final de tarde. Mas por causa da desobediência, o pecado entrou no mundo desfazendo assim essa comunhão perfeita. Neste momento você deve colocar uma garrafa separada da outra a uma distância de aproximadamente 30 centímetros. Entre as duas garrafas coloque a palavra PECADO e em seguida explique que a partir do pecado essa passou a ser a nova condição da humanidade diante do Eterno, separados, perdeu a comunhão. Algo precisava ser feito para salvar e reaproximar a criatura do seu Criador. Todo relacionamento interrompido clama por reconciliação. A Bíblia nos ensina que Deus preparou a Jesus Cristo para que através de seu sacrifício expiatória se tornasse o meio eficaz de nossa salvação e reconciliação. Neste momento pegue o papel com o nome JESUS CRISTO e cole as pontas entre uma garrafa e outra (é importante que você deixe que o nome PECADO continue lá embaixo). Explique que apesar do pecado ser uma realidade inegável a fé em Jesus Cristo nos salva e nos une a Deus. Encerre a Dinâmica lendo com seus alunos Gálatas 3.22 e 2 Corintios 5. 17-19.

Professor, antes de dar esta aula pesquise com muito afinco todos os pontos abordados em seu Plano de Aula, pois não adianta falar só de achismo, ou porque conheceu este Blog e acha suficiente para dar aula. Entenda que eu não conheço a realidade social, psicológica, física e espiritual de seus alunos, por isso, tente chegar no âmago das dúvidas de seus alunos, não os faça de meros espectadores de um "show" de conhecimento, pois isso não será suficiente, o conteúdo precisa de aplicabilidade para a situação de vida de seus alunos e isso é o mais importante. Deguste à vontade o conhecimento, mas não ache que irá inculcá-lo de uma hora pra outra nos seus alunos, por isso procure ser criativo na exposição do assunto.

Desejamos que esta aula seja portadora de grandes frutos para vida de seus alunos!



Por Roberto José