Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Subsídio Lição 6 - Sinceridade e arrependimento diante de Deus



I – AS CIRCUNSTÂNCIAS DA PARÁBOLA E A PARÁBOLA PROPRIAMENTE DITA

- Na sequência do estudo das parábolas de Jesus, analisaremos a parábola do fariseu e do publicano, que é registrada somente por Lucas, em Lc.18:9-14.
- Já temos visto que Lucas é o evangelista que mais registra parábolas porque o uso de parábolas era uma demonstração eloquente da sabedoria de Cristo e apresentar Jesus como o homem perfeito para os gregos, que era o público visado pelo médico amado, era, sobretudo, mostrar que se tratava de um homem sábio e, mais do que isto, da própria sabedoria de Deus (Lc.11:49) e esta, dentro da cultura helenística, era uma condição “sine qua non” para que o Senhor Jesus fosse aceito como Senhor e Salvador (I Co.1:22)
- Daí porque haver parábolas que somente foram registradas por Lucas, registro este que bem denota a influência que as parábolas tiveram no desenvolvimento da Igreja em seus primeiros tempos, pois nunca devemos nos esquecer de que o médico amado somente registrou aquilo que pôde comprovar por um bom número de testemunhas (Lc.1:1-4).
- Assim, o fato de Lucas ter sido o evangelista que mais parábolas registrou permite-nos inferir quanto as parábolas trouxeram conhecimentos espirituais para os discípulos de Nosso Senhor e Salvador, a ponto de, décadas depois de suas ministrações, estarem elas ainda vívidas na mente das pessoas e, o que é mais importante, servindo de diretrizes para a vida espiritual de cada um.
- Tais circunstâncias revelam quanto é importante que nós, quase dois milênios depois, tenhamos o mesmo cuidado de nos debruçar nas parábolas que o Espírito Santo mandou que fossem registradas pelos evangelistas sinóticos, sabendo que, a exemplo dos discípulos dos tempos apostólicos, tais narrativas também nos desvendarão mistérios do reino dos céus (Mt.13:11), permitindo-nos ouvir, ver e compreender as coisas concernentes a Deus, a fim de que não endureçamos nossos corações e sejamos espiritualmente
curados (Mt.13:11-15).

 Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.



https://drive.google.com/file/d/1vVWweE9hObQf7vWjOzYmVbUP7T49b5e7/view?usp=sharing

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça sua pergunta.