Bem Vindo!

Seja bem vindo(a) ao blog oficial da Escola Bíblica Dominical da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Curitiba. Sua participação e interação através deste blog é muito importante para o nosso trabalho. Deus abençoe!

Escola Bíblica Dominical

Escola Bíblica Dominical
Coordenador Geral Ev. Jorge Augusto

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Subisídio Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa


Adultos - A razão da nossa fé: assim cremos, assim vivemos
COMENTARISTA: ESEQUIAS SOARES DA SILVA
COMENTÁRIO: EV. CARAMURU AFONSO FRANCISCO

LIÇÃO Nº 9 – A NECESSIDADE DE TERMOS UMA VIDA SANTA

ESBOÇO Nº 9
CREMOS
(…)
10. Na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb.9:14; I Pe.1:15).

INTRODUÇÃO
- A justificação do salvo dá-se mediante a fé em Cristo Jesus, mas esta fé precisa ser demonstrada a cada momento, não se esgotando apenas no ato da regeneração. A salvação é um contínuo processo que, iniciando-se na regeneração, fruto do arrependimento e da conversão, prossegue, após a justificação, mediante a santificação, até o instante final da glorificação.
- Nosso Cremos demonstra, claramente, a necessidade da santificação contínua para podermos chegar aos céus, uma demonstração de que palmilhamos o Evangelho completo.

I – A SANTIFICAÇÃO POSICIONAL E O INÍCIO DO CONFLITO ENTRE A CARNE E O ESPÍRITO
- Na epístola que Paulo escreveu aos romanos, o principal texto bíblico a respeito da salvação, um dos pilares da Reforma Protestante, que faz 500 anos este ano, o apóstolo discute como o homem alcança a sua justificação, uma vez que é um contumaz pecador e, por causa disto, merecedor da condenação divina, vez que se trata de um ser que, por natureza, é injusto, já que pecado é iniquidade, é injustiça (I Jo.3:4).
- O apóstolo demonstra que esta justificação é devida única e exclusivamente à fé que temos em Jesus Cristo que, por nós, pagou o preço da salvação, morrendo na cruz do Calvário em nosso lugar, embora jamais tenha pecado, a fim de permitir que, mediante a fé n’Ele, sejamos perdoados dos nossos pecados e postos numa posição de justiça, uma vez que os nossos pecados são imputados ao Senhor e a justiça do Senhor é dada, gratuitamente, a cada um daqueles que crê em Jesus. É esta imputação da justiça de Cristo em nós em que consiste a justificação. Por isso, a partir do momento em que cremos em Jesus, passamos a ser justificados e mudamos de posição diante de Deus que não nos vê como éramos, mas que, agora, por causa de Cristo, nos vê como pessoas justas.
Ao mudarmos de posição diante de Deus, alcançamos o que os estudiosos da Bíblia denominam de “santificação posicional”, “…ato soberano de Deus, mediante a obra de Cristo (Hb.10:9-10)…” (GONÇALVES, Jayro. O papel da Igreja no século XXI(3). Vigiai e orai. Disponível em < http://www.google.com/search?q=cache:vEcdkMOmKsAJ:www.irmaos.com/vigiaieorai/103.2.jsp+%22santifica%C3%A7%C3%A3o+posicional%22&hl=pt-BR&gl=br&ct=clnk&cd=1> Acesso em 21 jun. 2006).
- Esta santificação não se deve a qualquer obra humana, mas à vontade de Deus (Hb.3:1; Rm.1:7) e, por isso, é perfeita e completa. A partir do instante em que aceitamos a Cristo como nosso Senhor e Salvador, nossos pecados são perdoados, somos justificados e, por isso, passamos a ser “santos de Deus”. Por isso, todo pecador arrependido e remido pelo Senhor Jesus é um “santo”, não tendo, pois, cabimento, procedimentos como os de “canonização” ou “beatificação”, como vemos em alguns segmentos religiosos.


Para continuar lendo este artigo baixe o anexo no link abaixo.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça sua pergunta.